Como tratar pragas e doenças na cultura da batata

Adaptado da Circular nº 08 de 2019, da Estação de Avisos de Entre Douro e Minho, disponível em:

MÍLDIO DA BATATEIRA

(Phytophthora infestans)
As condições meteorológicas presentes são pouco favoráveis ao míldio da batateira.
No entanto, devido à maior concentração de humidade na vegetação junto ao solo, deve prevenir eventuais ataques,
mantendo a cultura protegida com um fungicida de ação preventiva, com período de ação prolongado (por exemplo, calda bordalesa).
Fonte: Circular 08_2019_DRAPN_ Avisos Agrícolas

TRAÇA-DA-BATATEIRA

(Phtorimaea operculella)

  • Não faça tratamento, por enquanto.
  • A luta cultural é a base do controlo da traça da batateira.
  • Proceder cuidadosamente à amontoa,chegando a terra para junto do caule das batateiras, impedindo que as batatas novas fiquem expostas ou muito à superfície do solo, onde as borboletas da traça
    as possam alcançar para porem os ovos.
  • Sachas e gradagens, esmiuçando a terra, combatem as infestantes e dificultam a postura dos ovos da traça.
  •  Regar os batatais, sobretudo com tempo seco, o que dificulta a postura de ovos pela traça e a progressão das larvas no solo em direção aos tubérculos em desenvolvimento.
  •  Combater as infestantes.
  • Para monitorizar o voo da traça coloque uma armadilha com feromona sexual e proceda regularmente à sua observação, para deteção das borboletas da traça capturadas, determinando os períodos de risco de ataques aos tubérculos no campo.

ESCARAVELHO DA BATATEIRA

(Leptinotarsa decemlineata)
Deve procurar as primeiras larvas nos batatais mais adiantados.
Qualquer tratamento inseticida deve ser feito apenas quando se observarem as primeiras larvas em atividade e o mais possível localizado (apenas nas plantas atacadas e nas das proximidades).
No combate ao escaravelho da batateira no Modo de Produção Biológico, é autorizada a aplicação de produtos à base de azadiractina (ALIGN e FORTUNE ASA) e de spinosade (SPINTOR, SUCCESS).

Notas:

Esta circular, bem como edições anteriores, pode também ser consultada e descarregada em:

1 – www.drapn.pt

Fitossanidade > Avisos Agrícolas > Entre Douro e Minho

2 –  http://snaa.dgav.pt/

estações de avisos > Estação de Avisos de Entre Douro e Minho.

acientistaagricola

Olá, sou a Rosa. Nasci e cresci em meio rural e desde cedo percebi o que queria fazer para o resto da vida. Mais tarde, quando entrei no ensino superior tornei-me Técnica Superior do Ambiente e Agrónoma, áreas que sempre me fascinaram. Este blog é mais do que um projecto pessoal...é  o culminar de duas paixões: a escrita e as ciências ambientais e agrárias. Este é um local de encontro entre todos aqueles que partilham destas mesmas paixões.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *