img

Está a ser preparado o Recenseamento Agrícola 2019. INE recruta entrevistadores

/
/
/

Autor do artigo: Agricultura e Mar

O Recenseamento Agrícola 2019 (RA 2019) está já a ser preparado. Trata-se de uma operação censitária efectuada de dez em dez anos dirigida a todas as explorações agrícolas em todo o território nacional visando caracterizar a sua estrutura, identificar sistemas e modos de produção e tipificar a população rural.

A recolha de dados será efectuada por entrevista presencial de Outubro de 2019 a Maio de 2020.

A dimensão desta operação estatística implica o recrutamento de 1.300 entrevistadores, a partir de Janeiro de 2019, sendo as equipas de campo responsáveis pela realização de entrevistas presenciais, registo e validação de dados.

As candidaturas poderão ser efectuadas a partir de Janeiro de 2019 na página do INE, aqui.

Para mais informações sobre recrutamento envie mensagem por correio electrónico para ine-recrutamento@ine.pt.

Importante instrumento para a caracterização da agricultura

Segundo o GPP — Gabinete de Planeamento Políticas e Administração Geral o Recenseamento Agrícola é um “importante instrumento para a caracterização da agricultura do País, das estruturas e sistemas de produção, da população rural e dos modos de produção agrícola”.

Constitui um “instrumento essencial para o conhecimento da agricultura portuguesa, para a quantificação do seu contributo para a economia nacional, para a definição das políticas públicas e para a tomada de decisão no domínio privado deste sector”, acrescenta aquele organismo tutelado pelo Ministério da Agricultura.

Dados detalhados

Este recenseamento, assume-se, além disso, como a única fonte exaustiva de informação sobre o sector agrícola, pois recolhe dados sobre todas as explorações agrícolas nacionais, proporcionando resultados a níveis geográficos muito detalhados como a freguesia ou o município.

A realização do Recenseamento Agrícola, dizem os responsáveis pelo GPP, permite, assim, responder às necessidades estatísticas nacionais e internacionais, obrigando actualmente, a legislação da UE que todos os Estados-membros procedam à realização desta operação, assegurando a existência de um mesmo enquadramento geral (conceptual e metodológico), o que permite obter resultados harmonizados e comparáveis.

Monitorização da Política Agrícola Comum

Esta obrigatoriedade decorre da importância dos resultados do Recenseamento Agrícola para a definição e monitorização da Política Agrícola Comum, cuja relevância se encontra traduzida ao nível do orçamento da UE, enquanto instrumento fundamental para o desenvolvimento económico e social europeu.

2 Comments

    • Olá Rosário! São comentários como o seu que me encorajam a continuar este trabalho da melhor forma que sei!
      Continue desse lado 🙂
      Obrigada,
      A Cientista Agrícola

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This div height required for enabling the sticky sidebar