Produção agrícola e técnicas

Tudo o que deve saber sobre a aplicação de bioestimulantes na agricultura

Nos últimos anos tem se verificado um aumento do uso de bioestimulantes no sector agrícola, sendo este aumento particularmente notado nas culturas hortícolas, mas não só. Cada vez mais se tem verificado um aumento da procura por parte dos produtores agrícolas por produtos cada vez mais naturais que contribuam para um aumento da produtividade e qualidade das culturas agrícolas.  Neste artigo, vai ficar a conhecer mais informações sobre os bioestimulantes, principais objetivos da sua utilização, categorias de bioestimulantes, culturas em que são aplicados bem como algumas soluções comerciais da AgriPro que podem ser úteis para as suas culturas.  Curioso(a)?

O que são bioestimulantes?

Os bioestimulantes são compostos que derivam de substâncias naturais, que contêm substâncias activas e/ou microorganismos que, quando aplicados à planta ou à rizosfera, promovem uma maior eficiência do uso de nutrientes e um incremento da tolerância a stresses bióticos e abióticos. Os bioestimulantes podem também ser definidos como misturas de biorreguladores ou mistura de um ou mais biorreguladores com outros compostos de natureza química diferente tais como aminoácidos, vitaminas, sais minerais, entre outros. A utilização deste tipo de produtos na agricultura provoca na maior parte dos casos um aumento do rendimento final das culturas bem como numa melhoria da qualidade dos produtos que daí resultam.

É importante também ter em conta que um bioestimulante não pode ser confundido com um fertilizante nem como um agente de controlo biológico de pragas ou doenças, dado que as suas funções são distintas.

Embora os bioestimulantes estejam envolvidos nos processos de absorção e assimilação de nutrientes, a função dos bioestimulantes não é fornecer nutrientes à planta. Mas então, quais são os principais objetivos da utilização de bioestimulantes?

Mas então, quais são os principais objetivos da utilização de bioestimulantes? – deve estar a questionar-se. Conheça alguns dos principais objectivos referentes à sua utilização no tópico seguinte.

Principais objetivos da utilização de bioestimulantes

Hoje em dia, utilizam-se bioestimulantes por diversas razões. Uma das principais é que os bioestimulantes auxiliam no processo de crescimento das culturas e promovem um aumento na sua produtividade. Além disso, com a utilização de bioestimulantes nas culturas agrícolas verifica-se que as plantas acabam por tornar-se mais resistentes aos stresses do meio.

Os bioestimulantes ajudam também a melhorar significativamente os mecanismos de absorção e translocação dos nutrientes nas plantas, aumentando a sua biodisponibilidade. Além disso, ajudam na melhoria da resposta da planta através de uma melhoria estrutural e funcional do solo.

Conheça as várias categorias de bioestimulantes

No que diz respeito às principais categorias de bioestimulantes, destacam-se as seguintes: extractos de algas, ácidos húmicos, hidrolisados de proteínas, bactérias promotoras de crescimento/prébióticos, quitosano e outros biopolímeros. Conheça abaixo as principais características das principais categorias de bioestimulantes.

1-Extractos de algas

Os extractos de algas são usadas sobretudo no aumento de micronutrientes nas raízes e no transporte destes para a parte área da planta. Para além destas funções, actuam também na melhoria da composição dos tecidos vegetais, contribuem para a “biofortificação” através do aumento do valor nutricional dos tecidos das plantas. As espécies de algas mais utilizadas na formulação dos bioestimulantes são as algas castanhas tais como a Ascophyllum nodosum e a Ecklonia maxima bem como as algas vermelhas como a Phymatolithon calcareum e  a Lithothamnion corallioides.

A Agripro possui algumas soluções de bioestimulantes com extractos de algas tais como Seaenergy, Bioalgax, Algaton e  Cremalga.

2- Ácidos húmicos

Aqui estão integrados os constituintes naturais da matéria orgânica do solo (compostos principalmente por carbono orgânico) resultam de processos de decomposição das plantas, de resíduos de origem animal bem como de origem microbiana para além da actividade metabólica dos microorganismos do solo. As substâncias húmicas são bastante importantes dado que contribuem para a fertilidade do solo, atuando sobre propriedades físicas, químicas e biológicas. A maioria dos efeitos deste tipo de bioestimulantes referem-se à melhoria da nutrição das raízes, através de diferentes mecanismos nomeadamente o aumento da absorção de macro e micronutrientes, devido ao aumento da capacidade de troca catiónica do solo.

A Agripro possui algumas soluções de bioestimulantes com ácidos húmicos tais como o  Espartan.

3-Hidrolisados de proteínas

Que dizem respeito a misturas de aminoácidos e péptidos, obtidos por hidrolises químicas e enzimáticas de proteínas de subprodutos agroindustriais. Estes atuam sobretudo num aumento da tolerância das culturas ao stress abiótico resultando numa maior produtividade quando as plantas se encontram em condições de stress. Esta categoria de bioestimulantes atua diretamente na nutrição e crescimento das plantas, quando aplicados quer na planta e/ou solo. Por outro este tipo de bioestimulantes aumentam a actividade microbiana, o arejamento e contribuem para a fertilidade do solo. Neste tipo de hidrolisados, existem aminoácidos de origem animal e vegetal, em que os de origem vegetal têm vindo a apresentar vantagens de resposta nas plantas com um aminograma mais equilibrado.

A Agripro possui algumas soluções de bioestimulantes com hidrolisados de proteínas de origem em fermentações bacterianas tais como o Bombardier, Betazyme Plus, Rhyzo, Rhino, Fruka, Bluprins, Folicist, Fylloton, Kriss, Loker, Nov@, Sunred, Cromar, Bionergy Veg, Solavit PK, Protamin Cu e Rizammina 42.

4-Prébióticos

Fazem parte deste tipo de bioestimulantes microorganismos funcionais com influência em áreas como o crescimento das plantas (através do fornecimento de nutrientes), indução da resistência a doenças, aumento da tolerância a stresses abióticos, entre outros).

Os prébióticos  quando aplicados às culturas contribuem para o aumento da produtividade final obtida e diminuem o uso de fertilizantes.

Contribuem para a  intensificação  da proliferação seletiva e benéfica de microrganismos, auxiliando na construção de um ambiente equilibrado e saudável para um cultivo estruturado e sustentável. 

A Agripro possui algumas soluções de prébióticos tais como o Nitrozode AZ+, Agrobiotik, Prebiota Max e Bulhnova.

5-Quitosano e outros biopolímeros

O quitosano caracteriza-se por ser um biopolímero resultante da deacetilação da quitina, que é essencialmente extraída da carapaça de caranguejos, lagostas e camarão resultantes de  resíduos da indústria pesqueira. Por essa razão o  quitosano é um biopolímero de origem natural, usado no sector agrícola para promover a estimulação do  sistema imunitário das plantas garantindo-lhe protecção  contra o ataque de organismos patogénicos. Por outro lado, o quitosano promove  novas estratégias no biocontrolo de fungos patogénicos, contribuindo para a diminuição do uso de fungicidas de síntese que prejudicam meio ambiente e a saúde humano. Ainda, estes biopolímeros podem ser usados para produzir biofilmes aplicáveis na conservação pós-colheita de diversos produtos agrícolas.

A Agripro possui algumas de soluções de bioestimulantes que possuem quitosano na sua composição entre elas a  gama de bio proteção com muitas outras substancias simples que definem como resíduo zero, onde estão incluídas  soluções de priming (tipo vacinas).  

A AgriPro possui ainda soluções comerciais de bioestimulantes como o Batallon que resulta de uma fermentação fúngica e bacteriana e a adição de fúlvicos.

Aplicação de bioestimulantes

Os bioestimulantes podem ser aplicados de diversas formas entre elas: diretamente no solo, em soluções via fertirrega e aplicados na planta via foliar.

Quanto ao tipo de culturas em que os bioestimulantes podem ser aplicados destacam-se as culturas frutícolas, vinha, culturas hortícolas, culturas arvenses e na horticultura ornamental.

Espero que tenham gostado de aprender mais sobre os bioestimulantes 😊. Digam-me… Também costumam usar bioestimulantes nas vossas culturas?

Artigo patrocinado pela Agripro*

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo