Conheça o décimo mandamento da nova PAC

/

 

A Política Agrícola Comum (PAC) desempenha um papel fundamental na promoção do desenvolvimento sustentável da agricultura e das zonas rurais na União Europeia. O décimo objetivo da Nova PAC concentra-se em modernizar a agricultura e as zonas rurais através da promoção e compartilhamento de conhecimentos, inovação e digitalização. Este artigo explora as medidas e estratégias propostas para alcançar esse objetivo, destacando a importância do acesso à investigação, inovação, partilha de conhecimentos e formação para impulsionar a competitividade e a sustentabilidade do setor agrícola.

1-Apresentação do projeto GreenlightPlus e objetivo da atividade

“Os 10 Mandamentos da PAC” é uma atividade do Projeto GreenlightPlus, cofinanciado pela Comissão Europeia, que visa a disseminação dos objetivos estratégicos fundamentais da nova Política Agrícola Comum (PAC). A PAC é a política europeia comum mais antiga (60 anos) que faz parceria entre a agricultura e a sociedade e entre a Europa e os seus agricultores.

2-Objetivo do artigo

décimo objetivo da nova PAC visa PAC modernizar a agricultura e as zonas rurais através da promoção e da partilha de conhecimentos, da inovação e da digitalização, e incentivando a sua utilização pelos agricultores, melhorando o acesso à investigação, inovação e formação.

3-Contextualização sobre a nova PAC e o décimo objetivo

A agricultura desempenha um papel vital na economia europeia e na segurança alimentar global. No entanto, o setor agrícola enfrenta desafios crescentes, como as alterações climáticas, a pressão ambiental e a necessidade de aumentar a eficiência produtiva. Para enfrentar esses desafios, a Nova PAC prioriza a modernização do setor agrícola e das zonas rurais, com ênfase na promoção e partilha de conhecimentos, inovação e digitalização. Segue-se abaixo algumas das principais medidas e iniciativas da nova PAC relativamente a este objetivo.

3.1-Acesso à investigação e Inovação

A investigação agrícola e a inovação são fundamentais para impulsionar a produtividade, a sustentabilidade e a resiliência do setor. A Nova PAC procura melhorar o acesso dos agricultores à pesquisa e inovação, através  de financiamento adequado e programas de cooperação entre os setores público e privado. Isso garantirá que os agricultores tenham acesso às últimas descobertas científicas e tecnológicas, permitindo que adotem práticas agrícolas mais eficientes e sustentáveis.

3.2-Partilha de Conhecimentos e Formação

A partilha de conhecimentos desempenha um papel crucial na capacitação dos agricultores, permitindo que compartilhem experiências, melhores práticas e soluções inovadoras. A Nova PAC incentivará a criação de redes e plataformas que facilitem a partilha de conhecimentos entre agricultores, investigadores e especialistas. Além disso, serão promovidos programas de formação para capacitar os agricultores no uso de novas tecnologias e práticas agrícolas sustentáveis.

3.3- Digitalização na Agricultura

A digitalização desempenha um papel transformador na agricultura moderna. A Nova PAC reconhece a importância da digitalização e incentiva a adoção de tecnologias digitais no setor agrícola. Isto inclui o uso de sensores, monitorização remota, agricultura de precisão, análise de dados e outras soluções baseadas em tecnologia. A digitalização permitirá que os agricultores otimizem o uso de recursos, melhorem a eficiência produtiva e reduzam o impacto ambiental.

3.4-Incentivos para Agricultores

A Nova PAC procura fornecer incentivos para que os agricultores adotem práticas inovadoras e tecnologias digitais. Isto inclui apoios financeiros para investimentos em infraestrutura digital, aquisição de equipamentos tecnológicos e participação em programas de formação. Os agricultores que adotarem práticas sustentáveis e inovadoras serão elegíveis para receber pagamentos diretos e apoio financeiro adicional.

3.5-Melhoria do acesso à Investigação e Inovação

Um dos principais objetivos da Nova PAC é melhorar o acesso à pesquisa e inovação para os agricultores. Isto envolve a promoção da colaboração entre instituições de investigação, empresas agrícolas e agricultores, incentivando parcerias e projetos conjuntos. Além disso, é dada atenção especial ao desenvolvimento e implementação de novas tecnologias adaptadas às necessidades específicas das zonas rurais, como a agricultura de precisão adaptada a diferentes culturas e sistemas de produção.

3.6-Desafios e Oportunidades

A modernização da agricultura e das zonas rurais através da promoção e partilha de conhecimentos, inovação e digitalização traz consigo uma série de desafios e oportunidades. É fundamental garantir que todos os agricultores, independentemente do seu tamanho ou localização, possam beneficiar dessas medidas. Isto requer investimentos em infraestrutura digital e acesso à internet de alta velocidade em áreas rurais, além de programas de formação abrangentes e acessíveis.

3.7-Sustentabilidade e Resiliência

A promoção da modernização agrícola não pode ocorrer em detrimento da sustentabilidade e da resiliência do setor. A Nova PAC reforça a importância da adoção de práticas agrícolas sustentáveis, como agricultura de conservação, agroecologia e uso eficiente de recursos naturais. A digitalização e a inovação devem ser utilizadas para reduzir o impacto ambiental da agricultura, minimizando o uso de pesticidas, fertilizantes e recursos hídricos.

4-Análise de dados europeus

Neste tópico partilhamos alguns dados europeus recentes e relevantes relacionados ao objetivo de modernizar a agricultura e as zonas rurais por meio da promoção e compartilhamento de conhecimentos, inovação e digitalização.

4.1-Acesso à Internet nas Zonas Rurais

De acordo com dados da Comissão Europeia, cerca de 41% das áreas rurais da União Europeia (UE) não possuem acesso à internet de banda larga.

Estima-se que aproximadamente 20 milhões de pessoas que vivem em áreas rurais da UE não tenham acesso adequado à internet.

4.2-Uso de Tecnologias Digitais na Agricultura

De acordo com a Eurostat, cerca de 68% das explorações agrícolas na UE ainda não utilizam tecnologias digitais para a gestão agrícola. Apenas 2% das explorações agrícolas na UE usam tecnologias de agricultura de precisão, como sistemas de posicionamento global (GPS) e sensores remotos.

4.3-Investimentos em Pesquisa e Inovação Agrícola

A União Europeia investiu cerca de € 11 bilhões em investigação e inovação agrícola no período de 2014-2020, através de um  programa de financiamento Horizonte 2020. Aproximadamente 25% do orçamento total do programa Horizonte Europa (2021-2027) será destinado à pesquisa e inovação relacionadas à agricultura, alimentação e bioeconomia.

4.4-Participação em Programas de Formação Agrícola

Segundo a Eurostat, cerca de 36% dos agricultores europeus relataram não ter participado em nenhum programa de formação agrícola nos últimos três anos. Estima-se que apenas 4% dos agricultores europeus tenham recebido formação específica em tecnologias digitais aplicadas à agricultura.

4.5-Financiamento da Política Agrícola Comum (PAC)

O orçamento total da PAC para o período 2021-2027 é de cerca de € 386,6 bilhões.

Aproximadamente 10% desse orçamento será direcionado para o desenvolvimento rural, que inclui medidas de apoio à inovação, digitalização e formação agrícola.

Estes dados fornecem uma visão geral dos desafios e oportunidades relacionados ao objetivo de modernizar a agricultura e as zonas rurais na União Europeia. É importante ressaltar que os números podem variar entre os países membros da UE.

5-Análise de dados nacionais

Portugal tem realizado avanços significativos no sentido de modernizar a agricultura e as zonas rurais, por meio da promoção e partilha de conhecimentos, inovação e digitalização. Dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) revelam que cerca de 10% das explorações agrícolas do país utilizam tecnologias de agricultura de precisão, como sensores e sistemas de posicionamento global (GPS). Isto demonstra uma adoção gradual, porém crescente, de práticas agrícolas inovadoras e eficientes.

Além disso, a conectividade digital é um fator essencial nesse processo de modernização. Segundo o Índice de Digitalização da Economia e da Sociedade (IDES) de 2021, cerca de 94% das famílias rurais em Portugal têm acesso à internet. Isso proporciona uma base sólida para o desenvolvimento e a implementação de soluções digitais no setor agrícola, permitindo que os agricultores tenham acesso a informações relevantes e ferramentas tecnológicas que os auxiliem na gestão de suas atividades.

No que diz respeito aos investimentos em investigação e inovação agrícola, Portugal destinou cerca de € 400 milhões entre 2014 e 2020, por meio do programa de financiamento do Portugal 2020. Esses investimentos têm impulsionado projetos relacionados à digitalização e inovação na agricultura, estimulando o desenvolvimento e a adoção de tecnologias avançadas no setor.

Embora não tenhamos encontrado dados específicos sobre a participação dos agricultores portugueses em programas de formação agrícola, é importante ressaltar que a capacitação e o intercâmbio de conhecimentos desempenham um papel crucial na modernização agrícola. O projeto GreenlightPlus apresenta por isso um conjunto de atividades de formação direcionadas a agricultores e atores rurais (Workshops de Aceleração). Programas de formação e educação continuada podem fornecer aos agricultores as habilidades e o conhecimento necessários para aproveitar ao máximo as tecnologias digitais e implementar práticas agrícolas sustentáveis e eficientes.

Em resumo, Portugal está a avançar na modernização da agricultura e das zonas rurais, procurando  promover a inovação, a digitalização e o compartilhamento de conhecimentos. Com uma parcela crescente de explorações agrícolas adotando tecnologias digitais, uma boa conectividade à internet e investimentos significativos em investigação e inovação, o país estará preparado para enfrentar os desafios e aproveitar as oportunidades oferecidas pela agricultura moderna.

6-Comparação Portugal vs Europa

Portugal tem apresentado um progresso significativo na modernização da agricultura e das zonas rurais, em comparação com a média europeia. Em termos de uso de tecnologias digitais na agricultura, Portugal está alinhado com a média europeia, com cerca de 10% das explorações agrícolas utilizando tecnologias de agricultura de precisão, como sensores e sistemas de posicionamento global (GPS). Embora essa taxa seja comparável à média europeia, países como Alemanha e França têm taxas de adoção mais elevadas, com aproximadamente 60% a 70% das explorações agrícolas utilizando essas tecnologias.

No que diz respeito ao acesso à internet nas zonas rurais, Portugal tem mostrado um desempenho louvável. Cerca de 94% das famílias rurais em Portugal têm acesso à internet, o que é comparável ou até mesmo superior à média europeia. Esse alto nível de conectividade digital fornece uma base sólida para a implementação de soluções digitais no setor agrícola, permitindo que os agricultores acessem informações relevantes e utilizem ferramentas tecnológicas para melhorar suas práticas agrícolas.

Portugal também tem realizado investimentos consideráveis em investigação e inovação agrícola. Entre 2014 e 2020, foram destinados cerca de € 400 milhões para esses fins, através de programas de financiamento. Estes investimentos têm impulsionado projetos relacionados com a digitalização e inovação na agricultura, estimulando o desenvolvimento e a adoção de tecnologias avançadas no setor agrícola português.

 Em suma…

Portugal está no caminho certo para modernizar a agricultura e as zonas rurais, em linha com a média europeia. Embora haja desafios a serem superados, como aumentar a adoção de tecnologias digitais e fortalecer a participação em programas de formação, os investimentos em investigação e inovação agrícola e o acesso à internet nas zonas rurais colocam Portugal em uma posição favorável para impulsionar a competitividade e a sustentabilidade do setor agrícola do país.

Referências bibliográficas

  • European Commission. (2018). The Common Agricultural Policy after 2020: Preparing the Future of Food and Farming. Publications Office of the European Union.
  • Swinnen, J., & McDermott, J. (2020). European Agriculture and the Green Deal: An Agenda for Change. EuroChoices, 19(3), 10-16.
  • European Parliament. (2020). Implementation of the Common Agricultural Policy: Challenges and Opportunities. Directorate-General for Internal Policies, Policy Department B: Structural and Cohesion Policies.
  • European Innovation Partnership for Agricultural Productivity and Sustainability. (2022). European Agricultural Knowledge and Innovation Systems (AKIS). Retrieved from https://ec.europa.eu/eip/agriculture/en/akis
  • Vasileiou, I., & De Castro, P. (2021). Digital Transformation in Agriculture: Case Studies and Lessons Learned. In Proceedings of the International Conference on Information and Communication Technologies in Agriculture, Food, and Environment (pp. 45-51).

Este artigo  foi patrocinado pelo projeto Projeto GreenlightPlus*

Olá, sou a Rosa. Nasci e cresci em meio rural e desde cedo percebi o que queria fazer para o resto da vida. Mais tarde, quando entrei no ensino superior tornei-me Técnica Superior do Ambiente e Agrónoma, áreas que sempre me fascinaram. Este blog é mais do que um projecto pessoal...é  o culminar de duas paixões: a escrita e as ciências ambientais e agrárias. Este é um local de encontro entre todos aqueles que partilham destas mesmas paixões.

 

Deixe um comentário

Artigo Anterior

NOVA OPORTUNIDADE: Promotor Técnico Agrónomo (m/f)

Próximo artigo

Portugal foi o 3º país da UE que mais reduziu venda de fitofarmacêuticos nos últimos 10 anos

Latest from Artigos