ICNF alerta: apanha mecânica nocturna em olival super-intensivo será alvo de acção sancionatória

 

Autor do artigo: Agricultura e Mar

O Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF)  vai intensificar as acções de fiscalização durante os meses de Outubro de 2020 a Março de 2021 no sentido de assegurar que não ocorre qualquer prática que possa promover a mortalidade de aves, designadamente a apanha nocturna de azeitona.

E alerta que a continuidade da prática da apanha mecânica nocturna em olival será alvo de acção sancionatória nos termos da lei.

A perturbação e mortalidade de aves constituem uma infracção contra-ordenacional e penal à legislação em vigor, nomeadamente ao Código Penal, Decreto-Lei nº 140/99, de 24 de Abril, na sua actual redacção e Decreto-Lei nº 316/89, de 22 de Setembro.

O anúncio é feito hoje, 6 de Julho, através de comunicado enviado pelo Ministério do Ambiente e Acção Climática, depois de, nas sexta-feira, os produtores de azeite terem avançado com suspensão voluntária de colheita nocturna.

De referir que, segundo a Lei n.º 50/2006, de 29 de Agosto, que aprova a lei quadro das contra-ordenações ambientais, as coimas podem chegar aos 2,5 milhões de euros.

Estudo o INIAV

A decisão surge após o estudo sobre os impactos das culturas intensivas e super-intensivas de olival (culturas em sebe) em áreas de regadio desenvolvido pelo Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária (INIAV), confirmar que a prática de colheita mecânica nocturna de azeitonas nos olivais super-intensivos conduz à “perturbação e mortalidade de aves”.

O estudo elaborado para o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), indica que a apanha mecânica nocturna em olivais super-intensivos provoca de forma significativa a mortalidade de aves e que as medidas de mitigação testadas, concretamente os processos de espantamento ensaiadas, se revelaram ineficazes.

O “Estudo técnico para a avaliação de impacto na avifauna resultante da colheita mecânica nocturna” foi ordenado pelo Despacho nº 18/2019, de 19 de Setembro, ao INIAV, e decorreu durante a campanha de apanha de azeitona de 2019/2020. Este estudo teve a colaboração do ICNF e da Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Alentejo (DRAP Alentejo).

A Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP), a Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas e do Crédito Agrícola de Portugal (Confragri), a Casa do Azeite e a Associação de Olivicultores do Sul (Olivum) decidiram suspender a colheita nocturna mecanizada da azeitona na próxima campanha, a iniciar em Outubro.

Olá, sou a Rosa. Nasci e cresci em meio rural e desde cedo percebi o que queria fazer para o resto da vida. Mais tarde, quando entrei no ensino superior tornei-me Técnica Superior do Ambiente e Agrónoma, áreas que sempre me fascinaram. Este blog é mais do que um projecto pessoal...é  o culminar de duas paixões: a escrita e as ciências ambientais e agrárias. Este é um local de encontro entre todos aqueles que partilham destas mesmas paixões.

 

Deixe um comentário

Artigo Anterior

Quer fazer uma queimada? Estão proibidas até 30 de Setembro. Não arrisque, as coimas são altas

Próximo artigo

OPORTUNIDADE: Colaboradores para Apanha da Fruta (M/F)

Latest from Artigos