Protecção das culturas

Pedrado da Macieira: guia completo sobre a doença e como tratar

 Se possui macieiras, provavelmente já se deparou com esta doença. O pedrado da macieira é uma das doenças mais graves que surgem nestas fruteiras e por essa razão, necessita de uma vigilância e cuidados redobrados. De facto, esta doença pode causar prejuízos irreparáveis que deve evitar ao máximo de forma a garantir a sanidade destas árvores de fruto e pomar. Neste novo artigo, encontrará certamente as respostas às suas maiores dúvidas. Vai aprender em que consiste esta doença, onde, como e quando se manifesta e como tratar. Continue a ler este artigo se esta temática é do seu interesse.

pedrado-da-macieira-como-tratar-pereira-1
O pedrado também surge frequentemente em outras pomóideas tais como a pereira

O pedrado da macieira: saiba o que é

O pedrado da macieira é uma doença anual muito frequente nas macieiras e por essa razão, necessita de uma vigilância constante. O seu programa de tratamentos fitossanitários exige bastante rigor caso contrário poderá originar danos muito pronunciados.

O pedrado da macieira é causado pelo fungo Venturia inaequalis que se encontra principalmente nas folhas que acabam por cair no solo por altura do outono – inverno, nos pomares. Também nestas é possível encontrar manchas pretas, sinal evidente da presença desta doença de origem fúngica.

Quando a temperatura começa a subir, por altura da Primavera, estas árvores de fruto começam a tornar-se mais vulneráveis a esta doença. Este facto torna-se mais evidente quando as macieiras se encontram no estado fenológico C3-D que corresponde ao abrolhamento dos gomos e ao aparecimento da ponta verde nas suas folhas ( para saber mais sobre os estados fenológicos da macieira, ver imagem abaixo).

pedrado-da-macieira-como-tratar
Estados fenológicos da macieira segundo Fleckinger (1953). São eles: (A): gema dormente, (B) gema inchada com ponta de prata, (C) pontas verdes, (C3) meia polegada verde, (D) meia polegada verde sem folhas, (D2) meia polegada verde com folhas, (E) botão verde, (E2) botão rosado, (F) início da floração, (F2) plena floração, (G) final da floração, (H) queda de pétalas, (I) frutificação efetiva, (J) frutos verdes.  Fonte da imagem: researchgate.net, disponível em: https://www.researchgate.net/figure/Figura-1-Estadios-fenologicos-da-macieira-segundo-Fleckinger-1953-A-gema_fig1_319315685

Por outro lado, o pedrado da macieira pode também disseminar-se através dos frutos que foram atacados pela doença anteriormente e que acabaram por ficar mumificados nestas fruteiras. Esta forma de disseminação do pedrado tem uma probabilidade inferior de disseminação quando comparada a disseminação através das folhas atacadas.

Onde se manifesta esta doença

O pedrado é uma doença que marca presença em todos os pomares de pomóideas do país. É importante ressalvar que cada espécie de pedrado apresenta a sua especificidade cultural. No caso do pedrado da macieira, estas fruteiras são infetadas pela espécie Venturia inaequalis. No caso do pedrado na pereira, este é causado pela espécie Venturia pirina.

Como é que esta disseminação acontece?

O pedrado da macieira desenvolve-se essencialmente quando a temperatura e a humidade do ar são favoráveis, promovendo a disseminação do fungo.  No caso de Primaveras chuvosas e quentes, por exemplo, o nível de infeção das plantas é mais elevado. Esta contaminação afeta essencialmente órgãos das plantas tais como folhas, flores e frutos. Segue-se posteriormente a infeção manifestando-se pelo aparecimento de manchas escuras com tonalidade castanha/preta podendo também serem verdes escuras e acinzentadas. Surgem posteriormente manchas secundárias cujo seu aparecimento pode prolongar-se até ao momento da colheita.

pedrado-da-macieira-como-tratar-cientista-1
Manifestação do pedrado da macieira nos frutos

Quando se manifesta esta doença

Esta infeção manifesta-se principalmente entre os meses de março – abril, portanto aconselho a que esteja atento ao desenvolvimento deste problema fitossanitário.

Muitas vezes, verifica-se que o ataque de pedrado nas pomóideas pode ocorrer mais tardiamente. Nestes casos, os prejuízos são muito significativos, especialmente no pós-colheita.

No caso de ataques de pedrado que aconteçam mais precocemente, estes afetam principalmente a floração e o vingamento dos frutos.

pedrado-da-macieira-como-tratar-dicas-1
O vingamento dos frutos pode ser francamente comprometido no caso de um ataque precoce desta doença.

Os estragos causados pelo pedrado da macieira são inúmeros. Desde a diminuição da atividade fotossintética e capacidade produtiva e queda precoce de folhas, flores e frutos. Por outro lado, caso os frutos infetados acabem por não cair, acabam por apresentarem pequenas manchas e fendas (o que diminui drasticamente o seu valor comercial).

No entanto, existem variedades de macieiras que são mais resistentes ao desenvolvimento desta doença, especialmente as variedades regionais. Variedades como a Retina, Resi, Rubinola, Topaz, Resista, Goldrush, Ariwa, Santana e Ecolette são algumas das variedades de macieiras mais resistentes a esta doença de origem fúngica.

Caso queira atuar de forma preventiva diminuindo o potencial da doença, aplique caldas à base de ureia nos meses de setembro e outubro (início do outono) ou no início da queda de parte das folhas destas árvores de fruto. Aplique esta calda especialmente na copa destas fruteiras e nas folhas que já tiverem caído e se encontrem no solo.

Como tratar o pedrado da macieira?

A luta química pode ser uma forma de luta contra o pedrado da macieira, minimizando a instalação da doença especialmente durante períodos de contaminação mais críticos.

O ideal é que sejam feitos tratamentos de forma preventiva, se possível, o mais próximo dos períodos onde as contaminações primárias são mais frequentes (início da primavera).
É muito importante que respeite as doses recomendadas e que siga as orientações que vão surgindo por esta altura através dos Avisos Agrícolas contra esta doença.

Um dos fungicidas que pode utilizar para tratar o pedrado da macieira é o Faban® da BASF.

A dose recomendada é 120 ml/hl (1,2 L/ha) devendo ser aplicado na fase de maior suscetibilidade (infeções primárias). Desta forma, promove a proteção das culturas devido à sua composição e formulação co-cristal, que garante eficácia contínua independentemente da temperatura.  

Saiba mais sobre este fungicida aqui.

Espero que este artigo lhe tenha sido útil.

Artigo patrocinado pela BASF*

Bibliografia:
Métodos de Previsão e Evolução dos Inimigos das Culturas-
POMÓIDEAS- SERVIÇO NACIONAL DE AVISOS AGRÍCOLAS, disponível em https://www.cothn.pt/publicfiles/2jt4imto5a6iroo1st0x94f5mcflzcr1ng6uiupq.pdf
O pedrado das macieiras (Venturia inaequalis (Cke) Wint. ) – Carlos Coutinho, disponível em http://www.drapn.mamaot.pt/drapn/conteudos/ft2010/ficha_tecnica_41_2011.pdf
Manual de Boas Práticas de Fruticultura-Frutas Legumes e Flores em parceria com INIAV, I.P. (Estação Nacional de Fruticultura Vieira Natividade) e COTR,4.º Fascículo | A MACIEIRA. Disponível em: https://www.rederural.gov.pt/centro-de-recursos/send/2-agricultura-agroindustria/1851-manual-de-boas-praticas-de-fruticultura-macieira
Pragas e doenças da macieira, Direcção regional de Agricultura da Beira Litoral, disponível em: https://www.drapc.gov.pt/base/documentos/pragas_doencas_macieira.pdf


Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Botão Voltar ao Topo