Como tratar de plantas de interior: controle a humidade atmosférica

Como tratar de plantas de interior: dicas básicas

Como tratar de plantas de interior é muitas vezes uma das grandes preocupações para quem gosta de plantas e quer vê-las sempre bonitas, crescendo e desenvolvendo-se bem.

A maioria das plantas de interior provém de áreas quentes dos trópicos, onde a atmosfera é automaticamente humidificada pelo orvalho e pelas chuvas, rondando os 90%.

Numa divisão duma casa a situação é diferente. Quanto mais altas forem as temperaturas, mais seca será a atmosfera.

Para se “arrefecer”, a planta liberta bastante água através das aberturas (estomas) presentes nas folhas.

cuidador com as plantas de interior
A importância dos estomas: é através dos estomas, localizados maioritariamente nas folhas das plantas, que se realizam as trocas gasosas com o exterior. Os estomas são essencialmente constituidos por duas células-guarda que são responsáveis por delimitar a abertura dos mesmos, que é denominada de ostíolo. É através do ostíolo que se efectuam as trocam gasosas, sendo  as paredes celulares que limitam a sua abertura mais  espessas que as suas paredes opostas. Por essa razão anteriormente enunciada, permite-lhes variar a abertura do ostíolo em função do seu grau de turgescência( força que provoca a entrada de água na célula por osmose). Pelo contrário,quando estas células perdem água  ficam plasmolisadas, a pressão de turgescência diminui e o estoma acaba por fechar. As células-guarda quando estão túrgidas, verifica-se a abertura dos ostíolos. (Fonte da imagem:e-portfólio)

 

Para saber mais sobre a influência da luminosidade no crescimento e desenvolvimento das plantas de interior e varanda veja o meu artigo sobre o assunto.

 

Como tratar de plantas de interior: diferentes comportamentos das plantas

 

Em dias quentes, muitas plantas têm dificuldade em transportar a quantidade de  água suficiente  das raízes até às regiões superiores.

No período em que se liga o aquecimento, a humidade atmosférica não ultrapassa 30 ou 40%. Só as plantas de deserto, tais como o cacto ou a suculenta, conseguem sobreviver com um tão baixa humidade atmosférica. A maioria das plantas de interior precisa de uma humidade atmosférica de 50 a 60%.

Plantas de regiões tropicais como por exemplo, as orquídeas, as bromélias ou alguns fetos precisam de uma humidade atmosférica muito maior e de temperatura do solo suficiente. Para estas plantas o ideal é uma marquise.

como tratar de plantas de interior orquideas
As orquídeas são um exemplo de uma excelente planta com flor para ter no interior da sua casa. Um bom lugar para a colocar é na sua marquise caso a tenha. (Fonte da imagem: Bonde)

 

como cuidar de plantas de interior bromélias
A grande maioria das bromélias apreciam locais claros com bastante luminosidade. Torna-se possível verificar se as flores precisam de luz através da observação da coloração das suas folhas.As folhas escuras ou com cores mais desvanecidas e fracas significam que a planta necessitam de luminosidade para um bom crescimento e desenvolvimento.
plantas de interior
Com um higrómetro poderá medir a humidade atmosférica com exactidão (Fonte de imagem:3tres3)

 

Como tratar de plantas de interior: aumentar a humidade atmosférica

Como tratar de plantas de interior é muitas vezes uma das grandes preocupações para quem gosta de plantas e quer vê-las sempre bonitas, crescendo e desenvolvendo-se bem. Para isso é necessário ter em atenção a humidade que se verifica regularmente de forma a ter os melhores resultados possíveis.

Para aumentar a humidade atmosférica, pulverize regularmente as folhas, tanto na página superior  como na página inferior.

Utilize apenas água à temperatura ambiente, destilada ou sem calcário,para que a planta não sofra um choque causado pelo frio ou fique com manchas feias. As flores também ganham manchas facilmente, por isso proteja-as com um jacto de água.

Não deverá pulverizar as plantas ao meio-dia quando o Sol é mais forte, dado que as gotas de água potenciam o efeito dos raios solares, sendo o resultado manchas de queimaduras. Além disso, a planta tem de ter tempo suficiente, até à noite para secar.

Nem todas as plantas apreciam borrifos de água de cima a baixo. Entre estas contam-se as plantas com folhas tenras e com penugem. Estas plantas apreciam que as coloquem sobre um prato-base cheio de cascalho com água. Pode também colocar argila expandida entre o vaso das flores e o vaso exterior e humidificar estes último. Evaporadores junto do aquecimento, fontes interiores e vaporizadores electricos melhoram de forma geral o ambiente.

Quando a humidade atmosférica é demasiado baixa:

  • as pontas das folhas tornam-se castanhas, as folhas amarelecem, enrolam-se sobre si e definham.
  • As flores murcham rapidamente e os botões caem precocemente.
  • Não raro segue-se o aparecimento de aranhiços-vermelhos, que gostam de ar seco.

O que fazer nestas situações:

Borrife regularmente as plantas. Em caso de necessidade mude a planta de lugar. Escolha plantas menos sensíveis com folhas grossas e coriáceas.

 

Quando a humidade atmosférica é demasiado alta:

  • Surgem nas folhas pequenas manchas, de início verdes-amareladas, tornando-se mais tarde castanhas e acabando por secar. As causas destes edemas, também chamados”crosta de cortiça”, podem ser devido a uma rega irregular ou falta de luz.

O que fazer nestas situações:

Ventile e aqueça bem a divisão

Como tratar de plantas de interior: locais especiais na sua casa

No quarto a temperatura costuma ser constante e não muito alta. Os ciclames apreciam estas condições, assim como as plantas que, no Inverno, gostam de ambientes mais frescos 15ºC). Pessoas sensíveis poderão ficar com dores de cabeça devido ao aroma forte.

Na casa de banho, com janela, crescem bem todas as plantas que apreciam calor e uma grande humidade atmosférica. É o caso da maioria dos fenos, mas o lírio-da-paz, a diefenbáquia, a junça, as lágrimas-de-anjo, entre outras, também se sentem bem em tais condições “tropicais”.

As despensas e corredores são, regra geral, frescos e têm pouca luz, o que é ideal para espécies robustas e de fácil manutenção como, por exemplo, a iuca, o filodendro ou o clorófito. Não há planta, no entanto, que consiga suportar correntes de ar durante muito tempo.

Em cantos espaçosos podem ser colocadas plantas grandes.

Plantas de cores bonitas ou com formas extravagantes iluminam simultaneamente áreas escuras. Uma ou mais plantas grandes podem servir de separadores de espaço numa divisão.

Algumas plantas de interior florescem em pleno se passarem os meses de Verão ao ar livre.

Contudo, coloque as plantas no exterior só a partir de Abril, quando não houver perigo de geada, e habitue-as a pouco e pouco ao sol forte da Primavera. As plantas de interior, quando lá fora, preferem um sítio resguardado do vento.

Como tratar de plantas de interior é um conhecimento fundamental para qualquer pessoa que gosta de plantas. Reveja o meu artigo sobre a influência e exigências da temperatura nas plantas de interior e varanda aqui.

Se quiser saber mais sobre as necessidades hídricas das plantas de interior, clique aqui para ver o meu artigo sobre esta matéria e aprenda a cuidar melhor das suas plantas.

acientistaagricola

Olá, sou a Rosa. Nasci e cresci em meio rural e desde cedo percebi o que queria fazer para o resto da vida. Mais tarde, quando entrei no ensino superior tornei-me Técnica Superior do Ambiente e Agrónoma, áreas que sempre me fascinaram. Este blog é mais do que um projecto pessoal...é  o culminar de duas paixões: a escrita e as ciências ambientais e agrárias. Este é um local de encontro entre todos aqueles que partilham destas mesmas paixões.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *