Hoje venho falar-vos de um assunto que sempre me suscitou curiosidade desde a minha infância, quando observava o meu avô perto das colmeias e posteriormente a no fabrico do mel. Julgo que muitos de vocês que clicaram para ler este artigo também partilham do mesmo fascínio. Neste artigo, que será o mais sucinto e simples possível tentarei abordar o processo de criação de abelhas especialmente para quem se quer “aventurar” no mundo da apicultura. Querem saber mais sobre este tema? Então continuem a ler este artigo.

O fascínio pelas abelhas e o fantástico mundo da apicultura

O ser humano demonstra pelas abelhas e assuntos a estas relacionados um fascínio evidente, quer pelo alimento que nos proporcionam (o mel) quer pela lição que dão a outros seres vivos pela sua capacidade organizacional em colónia.

Por essa motivo, a apicultura tem vindo a ganhar cada vez um maior destaque. O homem pela necessidade que possui em A apicultura nasce com a necessidade do homem em colher os produtos oriundos desta atividade e o simultâneo respeito pela Natureza e o respeito por todos os seres vivos nela envolventes.

Por essa razão, tem aumentado a curiosidade e vontade de saber mais sobre todos os mecanismos presentes nas colónias de abelhas, feromonas libertadas e todos os estímulos que podem provocar certas reações nas abelhas e que podem ter interferência na produção obtida e equilíbrio ambiental.

Um bom apicultor deve por isso ser atento e perspicaz e estar sempre em observação do comportamento das suas abelhas e saber quais as estratégias para obter melhores resultados sem nunca colocar em causa do seu bem-estar.

como criar abelhas

Tipos de abelhas nas colmeias

As abelhas, Apis mellifera, que habituam um colmeia são “insetos sociais” pois as diferenças morfológicas que apresentam permitem desempenhar funções diferentes dentro da colmeia (heteromorfismo).

Destacam-se três tipos morfológicos de abelhas: a rainha, as abelhas operárias e o zangão.

A abelha rainha

A rainha é o único indivíduo fecundado numa colónia de abelhas que, alguns dias após o seu nascimento, realiza um ou mais voos nupciais em que vai ser fecundada por vários zângãos.

A principal função da abelha rainha é a postura de ovos, podendo pôr até 2000 ovos
por dia, que se transformarão nas futuras abelhas operárias, zangões ou novas rainhas. . A rainha acaba por transmitir todo os seus genes e respetivas características à colónia.

A abelha que é selecionada para ser rainha é alimentada durante o seu ciclo de vida com geleia real, um produto da colmeia, que lhe permite conferir os nutrientes que necessita e a fertilidade para cumprir a sua função, produz óvulos e começar a postura de ovos.

como fazer criação de abelhas

O zangão

O zangão tem uma função reprodutiva realizando o voo nupcial e fecundando a abelha rainha. Em algumas espécies, o zangão acaba por morrer após a fase da cópula ou até até mesmo pode acabar por ser “abandonado” pelas restantes colónias de abelhas pois poderá ser encarado como não tendo mais utilidade.

As abelhas obreiras

As obreiras são tal como o nome indica as abelhas que executam diversas funções dentro da colmeia. São estéreis e desempenham funções tais como: alimentação da rainha e zangão, cuidam da manutenção da estrutura da colmeia e sua limpeza e guardam a entrada da colmeia. Outras abelhas obreiras acabam por procurar flores em busca do néctar e do pólen.

como fazer criação de abelhas

Criação de abelhas: quais os produtos que se obtêm da apicultura

Caso esteja interessa em fazer criação de abelhas, saiba que pode obter através desta atividade produtos muito diversos além de benefícios desta atividade.

O produto mais conhecido da criação de abelhas é o mel que  possui inúmeras propriedades nutricionais e terapêuticas como benefícios já comprovados para a sua saúde. Além disso, é rico em antioxidantes que retardam o processo do envelhecimento, além de auxiliar na diminuição da pressão sanguínea e dos níveis de  triglicerídeos e de colesterol. É também muito usado para amenizar as dores de garganta e tosse.  Quem nunca usar uma receita com mel quando está com dores de garganta?

como criar abelhas
Mel

A geleia real é também um dos produtos que se pode obter da criação de abelhas. É bastante rica em vitaminas, aminoácidos, enzimas, lipídos e outras substâncias muito benéficas. É utilizada para os mais diversos fins, especialmente para reduzir a sensação de fadiga e stress. Mas tem muitas outras funcionalidades. Tal como já referi anteriormente neste artigo, a geleia real é a substância que as abelhas obreiras produzem para alimentar a abelha rainha durante todo o seu ciclo de vida. Embora a abelha rainha seja muito semelhante às operárias em termos genéticos, acaba por viver muito mais tempo quando comparada com estas. Uma abelha rainha pode viver em média 5 anos enquanto que uma obreira apenas vive cerca de 45 dias, devido sobretudo à alimentação à base de geleia real que a abelha rainha tem.

como criar abelhas
Geleia e pólen

Também o pólen, própolis e a cera são produtos obtidos através da criação de abelhas.

O pólen é muitas vezes adicionado nos iogurtes e saladas de fruta pois estudos defendem que ajuda a combater a fadiga e o stress do dia a dia.

O própolis, caracteriza-se por ser uma substância resinosa obtida pelas abelhas através da colheita de resinas da flora local que acabam por ser alteradas pela ação das enzimas que atuam na sua saliva. O própolis pode apresentar coloração, aroma e sabor distintos devido à origem botânica das abelhas. É considerado por muitos um antibiótico natural que possui propriedades anti-inflamatórias, entre outros benefícios.

A cera das abelhas é um dos principais produtos obtidos na
produção apícola. Revela-se fundamental para a qualidade do mel como para garantir a produtividade e saúde das colónias destes insetos.

A cera é produzida pelas obreiras com idades compreendidas entre os 12 e os 18 dias Durante este período, as suas glândulas cerígenas ( que produzem a cera) acabam por atingir o máximo da sua produção.

como criar abelhas
Pólen

Saiba como iniciar a criação de abelhas passo a passo

Antes de iniciar a criação de abelhas e dar os primeiros passos na apicultura, saiba que embora esta pareça uma atividade simples, precisa de um planeamento antecipado de forma a garantir o seu bem-estar e ao mesmo tempo continuar a assegurar as suas importantes funções no planeta. É importante também não esquecer que as abelhas possuem ferrões e que muitas pessoas são alérgicas à sua picada. Por isso, todo o cuidado é pouco, planeie-se!

Diferentes tipos de colmeias para a criação de abelhas

Existem vários tipos de colmeias que podem ser adquiridos para a criação de abelhas.

Ver aqui alguns exemplos de colmeias.

Conheça alguns modelos de colmeias

Modelo Langstroth

Este modelo de colmeias foi criado pelo apicultor Langstroth e consiste numa colmeia padronizada que possui a vantagem das abelhas conseguirem construir os favos de mel em caixilhos , que podem ser movidos de um lado para o outro de maneira fácil. Os caixilhos que compõe estas colmeias são projetados para evitar que as abelhas unam os favos de mel e se conectem com outros caixilhos ou com as paredes da colmeia. É também conhecida como colmeia Standard ou Americana. É atualmente a mais usada à mundialmente, por atender às necessidades biológicas das nossas amigas abelhas.

Modelo TopBar

A colmeia TopBar tem origem africana e sofreu depois algumas adaptações que lhe permitiram ser bem-sucedida nos climas mais temperados, razão pela qual tem vindo a ser cada vez mais usada em países europeus e até da América do Norte. Possui a vantagem de ser uma colmeia de fácil utilização o que confere ao apicultor uma melhor compreensão do seu enxame. A colmeia Top Bar (é equipada com
barras de topo daí o nome Top bar. Na sua ranhura esfrega-se uma barra de cera
parcialmente derretida por uma fonte de calor.
A partir desta linha de cera criada, as abelhas irão construir o seu favo(elíptico) de forma natural.

Lusitana

A origem da colmeia Lusitana provém do Padre Manuel Tavares de Sousa
devido à sua imaginação e várias experiências de alterações das colmeia já existentes, adaptando-as posteriormente à atividade apícola dessa época e ao que mais se usava. A necessidade destas alterações deveu-se sobretudo ao facto das colmeias serem de grandes dimensões e difíceis de manipular, não se adequando às abelhas ibéricas.

Através das alterações realizadas, a colmeia Lusitana ficou com um ninho mais reduzido de forma a conferir características das colmeias que mais se adaptavam às abelhas rainhas portuguesas. Foram reduzidos o número de quadros da colmeia, assim como a altura das alças e outras características, adaptadas à realidade portuguesa.

Colmeia Lusitana - Timberbee
Colmeia lusitana. Fonte da imagem: Tiberbee disponível em:https://www.timberbee.com/produto/colmeia-lusitana/

Escolha o local ideal para ter as suas colmeias

Agora que já sabe um pouco mais sobre a criação de abelhas e os tipos de colmeias, chegou a altura de escolher o local ideal para iniciar a sua produção. É fundamental que escolha um local sossegado (se possível rural) onde possa criar as suas abelhas em segurança e sem arranjar problemas com os vizinhos.

Escolha um local que esteja longe de zonas industriais, locais ruidosos, de animais e que esteja protegido do vento.

Por outro lado, garanta que as suas colmeias ficarão perto de uma ou várias fontes de água, de árvores de fruto e de flores pois facilitará a polinização.

Agora que já sabe um pouco mais sobre a atividade da apicultura, pode optar por comprar enxames, colmeias povoadas ou para povoar e rainhas novas em empresas como esta, e assim, otimizar todo o processo.

Espero que este artigo tenha sido útil se está com ideias de se iniciar neste mundo da apicultura!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here