Árvores e arbustosProdução agrícola e técnicas

Conheça os fatores que podem estimular o crescimento/vingamento dos frutos

Um dos principais objetivos de qualquer fruticultor é que os frutos, no processo de frutificação, cresçam e se desenvolvam adequadamente. Para tal, existem uma série de fatores que podem interferir negativamente neste processo e outros, por sua vez, que o estimulam. Neste artigo, fique a conhecer os fatores que podem estimular o crescimento/vingamento dos frutos e otimize a produção frutícola da sua exploração agrícola.

Como ocorre a formação dos frutos?

Para percebermos como funciona a formação dos frutos é importante termos em consideração o papel das flores neste processo. Aqui entra o termo “indução floral”, que corresponde a uma mudança fisiológica que se traduz, num determinado momento, numa gema floral e que acaba por condicionar a sua evolução.  Quando o grão de pólen é transferido das anteras dos estames até ao estigma do pistilo, ocorre a polinização.

Caso os estames e o pistilo pertençam à mesma flor, a polinização denomina-se autogâmica. Caso estas estruturas pertençam a flores distintas de uma determinada espécie, denomina-se polinização alogâmica (a mais frequente nas espécies frutícolas).

Nas espécies frutícolas é possível também que ocorra polinização anemófila através da ação do vento e também polinização entomófila através da ação dos agentes polinizadores, como insetos.

Ocorre posteriormente a fecundação com a fixação do polén sobre o estigma e o crescimento do tubo polínico. Seguidamente segue-se uma multiplicação celular intensa e, quando o desenvolvimento do ovário começa a ser visível, inicia-se o processo de desenvolvimento do fruto. 

Os frutos possuem na sua constituição três tipos de tecidos: o epicarpo (tecido mais exterior), mesocarpo (tecido intermédio) e endocarpo (tecido mais interior).  Estes três tecidos acabam por formar o pericarpo que juntamente com a semente, dá origem ao fruto.

Vale sempre ter em consideração que o sucesso de qualquer cultura frutícola depende de vários fatores tais como: condições edafoclimáticas adequadas, cultivos de espécies frutícolas adequadas à zona de cultivo, uso de práticas agrícolas apropriadas para o maneio do solo e da cultura frutícola em questão, nunca esquecendo também a utilização de recursos humanos e financeiros apropriados e a avaliação das exigências do mercado e condições de transporte e armazenamento.

Em suma, o processo de frutificação dá-se com o início com a floração, seguindo-se a fecundação, o vingamento e por fim a maturação dos frutos.

Este processo de formação dos frutos até à sua maturação completa tem duração variável e depende da espécie frutícola em questão (pode demorar dias até vários meses).

Durante todo este processo de formação dos frutos é importante ter em consideração as fases distintas que o compõe.

Principais fases de desenvolvimento de um fruto

Tal como abordado no tópico anterior, a primeira fase do processo de formação de um fruto é a multiplicação celular (primeira fase-de 10 a 30 dias). Esta fase possui duração variável, onde ocorre uma intensa divisão das células. Posteriormente segue-se a fase da elongação celular (alongamento do citoplasma das células, segunda fase-30 a 90 dias).

Nesta fase, as células formadas anteriormente acumulam água e nutrientes o que provoca um aumento do volume e tamanho dos frutos em formação.  Esta fase de elongação celular possuí uma duração superior quando comparada com a fase de multiplicação celular, podendo estender-se de 30 a 90 dias.

Como ocorre o crescimento de fruteiras (pomóideas e prunóideas)

As prunóideas

Na primeira fase de crescimento dos frutos de caroço como os pessegueiros e as ameixeiras verifica-se que um dos fatores mais importante são os níveis de azoto, bem como a concorrência dos frutos, que permite o máximo de divisão celular e gera frutos com um bom calibre.

Na fase do alongamento celular, a água e os níveis de fósforo são dos fatores mais importantes a ter em conta neste tipo de fruteiras, que permitem um bom alongamento do citoplasma das células.

As pomóideas

Nos frutos de pevide verifica-se que, caso ocorra um défice hídrico ou nutricional por um período de tempo reduzido, os danos não serão acentuados, dado que a planta poderá compensar estes fatores na semana seguinte pois a sua curva de crescimento é contínua.

Fonte da imagem: http://www.frutvasf.univasf.edu.br/images/fruticulturafundamentosepraticas.pdf

É importante também reter que o desenvolvimento dos frutos termina na fase de maturação (terceira fase-10 a 30 dias). Nesta fase, ocorrem uma série de transformações bioquímicas já amplamente faladas tais como: aumento dos teores em açucares, diminuição da acidez verificada anteriormente, alterações na cor e aromas e inevitavelmente o aumento do tamanho tendo como principal motivo a acumulação de água.

Conheça os fatores que condicionam o desenvolvimento do fruto

Podem considerar-se quatro fatores principais que condicionam o desenvolvimento do fruto: (1) fatores nutricionais, (2) fatores climáticos, (3) número de sementes e (4) queda dos frutos.

Comecemos por falar sobre os fatores nutricionais. As fruteiras possuem necessidades nutricionais características que podem ser fornecidas através da água (que compõe grande parte dos frutos maduros), das reservas acumuladas no fruto e através dos nutrientes fornecidos pelo sistema radicular.  A superfície foliar das fruteiras tem também uma importância relevante na intensidade da fotossíntese. É importante aplicar soluções para estimular o vingamento/crescimento do fruto tais como os produtos da gama HumaGro, distribuída em Portugal exclusivamente pela Hubel Verde.

O Calcium é uma fonte nutritiva de cálcio complexado com a Tecnologia Micro-CarbonoTM (MCT), tanto para aplicação foliar como em fertirrega, indicado para corrigir carências de cálcio em solos deficientes e culturas exigentes neste elemento.

O Breakout é uma solução fertilizante que contém macro e micronutrientes organicamente complexados com Tecnologia Micro-CarbonoTM (MCT), para aplicação foliar em várias culturas de forma a potenciar os processos básicos no desenvolvimento da planta. Este produto é um indutor do vingamento e fixação do fruto e fornece o fósforo necessário para ajudar as plantas durante o desenvolvimento do fruto e a superar a dormência e o stress ambiental.

O Vitol é um produto totalmente orgânico, sem prazo de segurança, à base de macronutrientes e micronutrientes Tecnologia Micro-CarbonoTM (MCT). Induz um crescimento vigoroso, com incremento do porte e área foliar e aumento do calibre e uniformidade dos frutos, através da ativação de aminoácidos, vitaminas e hormonas.

Além disso, promove a divisão celular e alongamento vertical na planta, garantindo o crescimento vegetativo em tempos de stress, uma vez que fornece energia à planta para maximizar os processos metabólicos.

O Yield-Max é um indutor de maturação enriquecido com boro complexado pela Tecnologia Micro-CarbonoTM (MCT), que através da ativação de aminoácidos (metionina) e vitaminas e melhora o movimento de hidratos de carbono e proteínas a partir de folhas, caules e raízes para os frutos.

Dessa forma, permite um incremento e uniformidade na maturação e maior teor de açúcares (maior ºBrix). Melhora também a cor, o calibre e a vida dos frutos por ativação de antioxidantes.

Os fatores climáticos, tais como a temperatura, condicionam o desenvolvimento do fruto. Assim, temperaturas médias altas diurnas que não contrastem muito com as temperaturas noturnas acabam por favorecer o rápido crescimento dos frutos. Noites contrastantes acabam por favorecer a coloração dos frutos.

O número de sementes também condiciona o desenvolvimento dos frutos, tamanho, qualidade, composição dos mesmos e data da sua colheita. Frutos que possuem uma quantidade de sementes menor acabam por se desprender mais facilmente, possuem anomalias na sua forma, tais como menor tamanho, piores características organoléticas e maturação mais tardia.

As quedas dos frutos, nomeadamente fisiológicas e acidentais, interferem também no número de frutos colhidos e consequentemente no rendimento final obtido.

Existem, porém, outros fatores que podem incidir neste rendimento final tais como as condições em que se realiza a polinização, germinação do pólen e fecundação. A esterilidade das fruteiras bem como o seu estado fisiológico e nutricional podem também ter um peso muito importante no crescimento/ vingamento dos frutos.

Espero que tenham gostado deste artigo e aprendido mais sobre esta temática da formação dos frutos.

Artigo patrocinado pela Hubel Verde*

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo