Estamos na época delas, um dos frutos frescos mais apreciados pelos consumidores- a cereja! Quer pelas suas características organoléticas quer pela sua riqueza nutricional ou até mesmo pelo sua precocidade relativamente a outras frutas faz com a cereja seja muito valorizada no mercado e por essa razão acaba por gerar um bom rendimento aos produtores. Neste artigo, vou partilhar consigo tudo o que deve saber sobre as cerejeiras e quais os principais cuidados que deve ter em conta para cultivar e cuidar corretamente.

O que deve ter em conta antes de cultivar cerejeiras

A cerejeira (Prunus avium) pertence à família Rosaceae e caracteriza-se por ser uma fruteira de clima clima temperado e de folha caduca que é muito cultivada em muitas regiões do continente europeu e asiático.

Com tonalidades amarela, rosada e vermelha, as cerejas caracterizam-se por apresentarem uma polpa macia e suculenta. Para fabrico de conservas, licores, doces e geleias é utilizada a cereja ácida também conhecida por ginga, Prunus cerasus.

Sabia por exemplo que um cerejeira demora em média cerca de 4 anos a produzir? É claro que este período pode ser condicionado por vários factores como as condições edafoclimáticas e a variedade de cerejeira escolhida, mas é importante que considere este aspeto. O momento da colheita destes frutos deve ser feito quando as cerejas estão maduras e por essa razão deve deixá-las amadurecer na árvore. Depois de colhidas, devem ser consumidas rapidamente sob pena de perderem qualidade. Mais ainda, no momento da colheita, deve ainda garantir que retira os frutos da cerejeira com o pedúnculo pois caso contrário o risco de ocorrência de podridão castanho aumenta exponencialmente.
A região do Fundão é umas das zonas do país onde a produção de cerejas é maior.

É importante ainda ter em conta que embora as cerejeiras sejam cultivadas com a finalidade de produção de cerejas, existem ainda variedades que são produzidas com o objectivo de produzir madeira nobre, a famosa “madeira de cerejeira”. Esta madeira é de extrema qualidade porque ainda de ser bastante resistente e robusta, apresenta uma tonalidade avermelhada.

Madeira de cerejeira

Ciclo cultural e hábitos de frutificação

No ciclo vegetativo anual de uma cerejeira contempla as seguintes fases: (1) o repouso vegetativo, (2) abrolhamento, (3)floração, (4) crescimento e maturação do fruto e (5)colheita e queda da folhagem.

O período de dormência nas cerejeiras inicia-se no fim do verão e prolonga-se até fevereiro/março, altura que em ocorre a quebra da dormência. Esta fase ocorre em função do número de horas de frio acumuladas que consigam simultaneamente satisfazer as necessidades de cada cultivar.

Após esta quebra de dormência, as temperaturas começam a aumentar de forma progressiva de forma a que se consiga reiniciar o crescimento vegetativo da cerejeira. Este período é marcado inicialmente pelo intumescimento dos gomos, abertura progressiva das flores e consequente polinização e fecundação das mesmas. Ocorre posteriormente o vingamento, amadurecimento do fruto e posterior colheita (entre maio e julho consoante a variedade escolhida).

Fonte da imagem: https://thumbs.dreamstime.com/b/planta-que-cresce-da-semente-%C3%A0-%C3%A1rvore-de-cereja-118469797.jpg

A escolha da variedade adequada

Pode optar por escolher variedades temporãs que iniciam a maturação em abril e se prolongam até ao final de maio, exemplo: Burlat, Primulat, Earlise e Early Bigi.

As de meia estação têm a maturação pelo mês de junho e englobam cultivares como a Summit, Stark Hardy Giant, Canada Giant, Celeste, Samba, Black Star, etc.

No caso das variedades mais tardias em que a colheita pode estender-se até meados de julho destaca-se as variedades Lapins, Sunburst, Skeena, Sweetheart, Fertard e a Staccato. Outras variedades tardias muito utilizadas são a Van, Grada e De Lisboa. Os porta-enxertos normalmente recomendados são a Cerejeira brava e a Ginjeira (Prunus cerasus L.).

Principais condições edafoclimaticas que deve garantir para o cultivo de cerejeiras

Exigências de temperatura

O cultivo de cerejeiras é normalmente realizado em regiões de Invernos frios muito devido a serem características de clima temperado apreciadas por estas fruteiras. A cerejeira necessita de cerca de 800 a 1000 horas de frio para que a sua produção seja assegurada embora existam variedades que precisem menos horas de frio que as referidas (existem variedades que apenas necessitam de 700 horas abaixo dos 7 graus para a quebra de dormência). Esta exigência climática depende da variedade cultivada e para evitar inconvenientes deve estar atento a este tipo de informações no momento da compra. Se tiver preferência por variedades menos exigentes em termos de horas de frio será aconselhável optar variedades regionais.

A época ideal de plantação das cerejeiras situa-se entre os meses de janeiro e fevereiro devendo ainda garantir que as plantas estejam no terreno cerca de um mês antes ao período do abrolhamento para que o seu ciclo cultural não seja comprometido.

Qual o solo ideal?

Para que o pleno crescimento e desenvolvimento destas fruteiras é necessário que garanta que o solo onde as vai cultivar possuam uma boa drenagem e um pH que oscile entre os 6,0 e os 7,5 ( muito pouco ácido) . O local escolhido para o seu cultivo deve possuir uma boa exposição solar e estar protegido dos ventos. O solo deve ainda ter uma boa profundidade , teor de matéria orgânica e uma boa drenagem dado que a cerejeira é sensível ao encharcamento. É ainda importante que os solos onde decidir instalar estas fruteiras sejam bem estruturados uma vez que caso sejam muito leves e com textura arenosa podem não ser uma boa opção para esta cultura dado que não são os ideais.

pomar de cerejeiras
Pomar de cerejeiras

Compasso de plantação

Dadas as configurações de desenvolvimento desta fruteira deve garantir um compasso de plantação de pelo menos 4×4 (no caso da instalação de um pomar), não descurando o controlo de plantas infestantes no colo da planta e nas entrelinhas.

Nutrição vegetal das cerejeiras

Um dos príncipios básicos que deve ter em conta no momento de fertilizar ou não as suas cerejeiras é que qualquer que seja a aplicação de nutrientes realizada deve ser feita com base nos resultados das análises do solo. É importante ainda ter em conta que as fertilizações e correções devem ser efetuadas consoante as recomendações da análise de solos.

Embora a cerejeira seja pouco exigente em azoto, este macronutriente revela-se fundamental na fase pós-colheita. Por essa razão, deve fornecer este nutriente à fruteira especialmente durante esta fase para garantir que o crescimento vegetativo e floração da campanha seguinte acorram sem problemas de maior.

Em contrapartida, as cerejeiras revelam-se bastante exigentes em potássio e por essa razão é comum encontrar esta deficiência nutricional em vários pomares de cerejeiras. Dado que estas fruteiras extraem durante o seu ciclo de vida cerca de 8 kg de azoto (N), 3kg de fósforo (P2O5) e 10 kg de potássio (K2O) por cada tonelada de cerejas produzidos, deve ter em atenção este aspeto bem como as recomendações de fertilização no momento da aplicação de nutrientes. As análises foliares e de solo são portanto extremamente necessários para garantir a correta nutrição das cerejeiras.

A importância das podas

Existem vários tipos de podas que deve ter em consideração quando o tema são as cerejeiras.

O primeiro tipo de poda a ter em conta é a poda de formação. Esta é realizada nos primeiros três anos do ciclo de vida das cerejeiras e é realizada com o objetivo de conferir estrutura à fruteira, despontando o ramo principal quando este tiver cerca de 40 cm.

Realiza-se posteriormente a poda de frutificação quando a cerejeira entra em produção. Neste tipo de poda elimina-se os ramos mal inseridos, suprimidos, ensombrados, etc.

Em sumo, considera-se dois momentos essenciais para podar cerejeiras:

  • Poda no final do Inverno/ início da Primavera-São eliminados ramos ladrões, secos, mal orientados com vestígios de pragas e doenças pela base. Considerando também os ramos estruturais que se prolongaram nesse ano, podam-se cerca de 30 cm de comprimento. Os ramos que darão origem a cerejas, deve-se podar pelo menos 5 olhos acima de um gomo virado para o exterior.
  • Poda em verde– esta poda é realizada nos meses de Maio-Junho, devendo-se podar os ramos novos a pelo menos 7 folhas (considerando que o ramo tem pelo menos 12 folhas). Em Julho volta-se a repetir esta poda, podando os novos ramos a pelo menos 5 folhas.

É ainda muito importante ter em conta que se a maioria das fruteiras se podam no inverno, isto não acontece nas cerejeiras. Dado que a poda efetuada nas cerejeiras durante esta estação do ano apresenta uma cicatrização má e é mais susceptível ao aparecimento de doenças e pragas, a poda nas cerejeiras deve ser realizada na Primavera. O momento ideal para esta prática é quando os gomos desta fruteira rebentam ou então no momento pós-colheita. Os cortes devem ser realizados obliquamente com excepção dos ramos que se juntam a outros devendo nestes casos o corte ser raso.

Não esquecer que após o corte (especialmente em ramos mais grossos) deve aplicar um ungento sobre as zonas cortadas.

Saiba mais sobre podas aqui

poda das cerejeiras
Poda das cerejeiras

Pragas e doenças

Dentro dos problemas fitossanitários que podem aparecer nas cerejeiras o cancro bacteriano destaca-se. As cerejeiras afectadas por esta doença acabam por ficar com os seus ramos e/ou tronco secos acompanhada por uma possível saída de goma em alguns pontos. Nestes casos, uma das melhores soluções é efectuar a poda eliminando a parte doente. Depois deste procedimento é importante desinfectar a secção cortada com uma pasta cúprica. Tratamentos preventivos contra esta doença devem ser realizados especialmente no Inverno através da utilização de calda bordalesa.
Quanto a pragas nas cerejeiras, a mosca na cereja e o pulgão são das mais comuns.

No caso específico da mosca da cereja acabam por surgir pequenas larvas brancas que eclodem com o aumento das temperaturas. Dá-se posteriormente o acasalamento e postura dos ovos nas cerejas. Para atuar de forma preventiva pode utilizar armadilhas.

Também com o aumento das temperaturas ocorre uma aumento substancial do aparecimento de pulgões que após o ataque originam o encarquilhamento das folhas, por exemplo. Para tratar, aplique um solução insecticida à base de sabão azul e branco.

Cancro bacteriano nas prunóideas. Fonte da imagem: INIAV- disponível em: https://www.iniav.pt/images/INIAV/organica/Unidades_Investigacao_Servicos/Sistemas_Agrarios_Florestais_Sanidade_Vegetal/Boletins_tecnicos/2019_bt-2_cancro_bacteriano_prunoideas.pdf

Rega

Tendo em consideração que as cerejeiras são muito sensíveis ao encharcamento, a rega torna-se mais necessária nas cerejeiras recém-plantadas e as plantas jovens especialmente em períodos de seca prolongados. Embora a cerejeira seja considerada pouco pouco exigente em água, a falta de água na primavera e verão pode comprometer o desenvolvimento vegetativo e o crescimento dos frutos. No caso de ter um pomar de cerejeiras torna-se interessante instalar-se rega localizada de forma a assegurar o fornecimento de água durante todo o ciclo. Em fases como o vingamento dos frutos, colheita e pós-colheita as necessidades hídricas destas culturas devem ser garantidas.

Colheita nas cerejeiras

A época de colheita nas cerejeiras acontece de maio a julho, depende da(s) variedade(s) escolhidas.

É importante ter em conta que precipitações prolongadas durante esta fase podem contribuir para o rachamento dos frutos devido à absorção da água das chuvas na superfície dos frutos que ocorre de forma quase imediata.

Para assegurar a qualidade final do produto final deve garantir que as cerejas estejam inteiras, com aspecto fresco, firmes, limpas e sem vestígios de pragas e doenças. Garanta ainda que colhe as cerejas com o pedúnculo.

E vocês, já começaram a colher cerejas? 🙂