Autor do artigo: Sara Sousa, Agroop

A nível global, já se produzem alimentos suficiente para toda a gente, mas uma em cada nove pessoas sofre de fome crónica. O dado é revelado pela FAO – Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, a propósito da celebração do Dia Mundial da Alimentação, que decorre a 16 de outubro. Por essa razão, os agricultores podem ter um papel fundamental

dia mundial da alimentação agricultores

Fonte da imagem:Agrupamento de Escolas do Paião

 

Um mundo com cada vez mais fome

“Em setembro de 2015, 193 países … prometeram acabar com a pobreza e a fome, proteger o planeta e garantir prosperidade para todos,” lê-se no documento lançado pela organização a propósito da efeméride. No entanto, a fome e a subnutrição têm vindo a subir, “ameaçando destruir décadas de avanços.” Em 2016, eram 815 milhões as pessoas que sofriam de subnutrição – um aumento de 38 milhões face ao ano anterior.

Porquê? Segundo a FAO, a culpa é dos conflitos violentos que têm acontecido nos últimos anos em vários países e que têm forçado milhões a migrarem, assim como da seca e outros fenómenos meteorológicos extremos, que têm afetado negativamente a distribuição de alimentos.O papel da agricultura e das comunidades rurais é, então, essencial.

fome no mundo agricultores

Fonte da imagem: consea mg

 

10 passos para ajudar a erradicar a fome – para agricultores

 “Os homens e mulheres que trabalham em agricultura desempenham um papel vital no cumprimento do objetivo Fome Zero,” defende a FAO. E as decisões que tomarem vão “contribuir para moldar o futuro da alimentação.” Assim, a FAO recomenda passos que os agricultores podem seguir para ajudar a construir um mundo sem fome.

  1. Promover a igualdade

“Os agricultores e proprietários devem promover a igualdade de género … pois a Fome Zero só pode realizar-se numa sociedade justa e igualitária,” defende a FAO.

  1. Gerir recursos de forma eficiente

Os agricultores devem gerir os recursos naturais de forma eficiente e sustentável, de forma a garantir a sua durabilidade. Ao mesmo tempo, aumentam os seus lucros ao reduzir desperdício.

  1. Adaptação às mudanças climáticas

Ao adotarem uma abordagem inteligente no que toca a esta área, os produtores conseguiram enfrentar melhor o impacto das mudanças do clima. Podem, por exemplo, usar “sementes mais resistentes à seca e às doenças, criar gado que se adapte melhor a climas mais quentes” ou “plantar árvores resistentes ao calor e à seca.”

  1. Diversificar as culturas

“A pressão crescente da procura por terra para cultivo de culturas para a produção de biocombustíveis e de alimentos bio-fortificados irá aumentar a procura por agro-biodiversidade.” Os agricultores devem diversificar as suas culturas, pois tal ajuda a manter os solos saudáveis, a controlar doenças e pragas e a diminuir o dióxido de carbono na atmosfera, o que reduz o impacto das alterações climáticas.

  1. Produzir mais com menos

A população mundial vai chegar aos 9 mil milhões em 2050 – por isso, estima-se que a agricultura tenha que produzir mais 60% até lá. Assim, os agricultores devem “formas novas e mais produtivas” de cultivar. Ao fazê-lo, estariam a produzir mais com menos, o que aumentaria a rentabilidade dos seus negócios.

  1. Participar politicamente

É importante que os agricultores e os agronegócios participem nos processos políticos relacionados com agricultura e fazer ouvir as suas vozes.

  1. Unirem-se em cooperativas

É importante que as comunidades rurais consigam lutar pelos seus direitos – unindo-se em cooperativas agrícolas, tal torna-se mais fácil.

  1. Educar os agricultores do futuro

“Ao dar aos mais jovens as ferramentas e conhecimento certos, os agronegócios podem educar uma nova geração de agricultores, aumentando a sua força de trabalho e produzindo mais alimentos,” diz a FAO.

  1. Reduzir as perdas pós-colheita

Este tipo de perdas pode ser reduzida com a utilização de locais de armazenamento adequados, educação contínua e adoção de tecnologia atual.

  1. Aproveitar o poder da tecnologia

“A tecnologia digital moderna e o software, como apps móveis, podem ajudar os agricultores a mitigar e a lutar contra os efeitos de eventos meteorológicos extremos, ao permitir-lhes partilhar informação rapidamente, aceder informação em tempo real e descobrir soluções agrícolas inovadoras,” recomenda a FAO.

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here