Aveia e os seus subprodutos: tudo o que deve saber

Autor do artigo:

 Mário Picoto PereiraEngenheiro da Produção Animal

email:mario_j_pereira@hotmail.com

LinkedIn – www.linkedin.com/in/mário-picoto-pereira-35781114b

 

APROVEITAMENTO DE SUBPRODUTOS DA INDUSTRIA ALIMENTAR PARA ALIMENTAÇÃO ANIMAL

AVEIA

“Eis um teste para saberes se terminaste a tua missão na Terra: se estás vivo, não a terminaste.” (Richard Bach).

Entender a economia circular como uma missão geradora de mais rendimento, respeitando as leis da sustentabilidade, aproveitando todos os produtos até ao produto principal. Será esta a lógica do futuro que nos espera, fazer muito com pouco, gerar qualidade fazendo diferente. Deste modo seguimos para mais um produto que origina vários subprodutos que podem gerar uma mais valor, a Aveia.

A Aveia, Avena Sativa, foi sempre uma escolha na alimentação de ruminantes e de equinos, com exceção na alimentação de suínos e de aves, devido ao seu elevado conteúdo em fibra e baixo valor energético.

O valor nutritivo da Aveia depende da sua relação entre a casca e o grão. A Aveia com alto conteúdo de casca é mais rica em fibra bruta e tem um menor valor de energia metabolizável, comparando com Aveia com menos casca.

subprodutos da aveia

Proteína Bruta da Aveia

  • Varia entre 70 a 150g/ kg de matéria sólida (MS);
  • Aumenta com a aplicação de fertilizantes azotados;
  • A proteína da aveia é de baixa qualidade, sendo deficiente nos aminoácidos essenciais;
  • O aminoácido mais abundante é o ácido glutâmico, que pode chegar aos 200g/ kg.

Hidratos de carbono

Em comparação com outros cereais, o conteúdo em hidratos de carbono da aveia é superior, encontrando no endosperma cerca de 60%. Estes hidratos são ricos em ácidos gordos insaturados.

MS g/Kg Fibra Bruta (FB) Proteína Bruta (PB)
860 105 109

Tabela 1. Breve composição nutritiva da Aveia.

Subprodutos da Aveia

Durante a preparação comercial de farinha de Aveia, para consumo humano, pode-se obter uma série de subprodutos para alimentação animal.

Processos dessa transformação

Ao receber a Aveia, na indústria transformadora, separam-se as várias sementes misturadas nesse lote, que podem ser sementes de outros cereais, sementes de infestantes ou mesmo ervas infestantes.

Continuando o processo, a aveia é limpa e calibrada. A limpeza começa com vapor, para inativar a enzima Lipasa, que se encontra localizada quase exclusivamente no pericarpo do cereal (relembro que é a zona da casca). Após o ultimo processo, a aveia é seca e descascada, para depois os grãos serem polidos.

Os principais subprodutos da produção de farinha de aveia são a Casca, o pó de aveia, e farinha de sementes. As cascas são o subproduto mais abundante (cerca de 70% do total), formado por cascas e alguns fragmentos de grãos.

A casca tem muito baixo valor nutritivo, no entanto é um alimento de qualidade superior, comparando com a palha de aveia. O conteúdo em proteína é baixo (aproximadamente 30g/ kg MS). O conteúdo em fibra bruta é aproximadamente 350 a 380 g/ kg MS), o que torna este produto fraco para monogástricos.

O pó de aveia é rico em material procedente do grão. O conteúdo em proteína é cerca de 100g/Kg MS.

A farinha de sementes é formada por “lâminas” de cascas e fragmentos de grão, em quantidades idênticas.

subprodutos da aveia

Resumindo, todas as espécies pecuárias apresentam melhores ou piores adaptações a certos alimentos. Cada alimento mais apto para ser consumido por uma dada espécie deve ser analisado antes da administração.

Cabe ao Homem saber aproveitar este tipo de subprodutos e interliga-los entre si e adaptá-los à espécie, poupando recursos, dinheiro e aumentando o valor desses mesmos alimentos, gerando fontes seguras de rendimento.

 

acientistaagricola

Olá, sou a Rosa. Nasci e cresci em meio rural e desde cedo percebi o que queria fazer para o resto da vida. Mais tarde, quando entrei no ensino superior tornei-me Técnica Superior do Ambiente e Agrónoma, áreas que sempre me fascinaram. Este blog é mais do que um projecto pessoal...é  o culminar de duas paixões: a escrita e as ciências ambientais e agrárias. Este é um local de encontro entre todos aqueles que partilham destas mesmas paixões.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *