Artigo adaptado da a Circular nº 16 de 2019, da Estação de Avisos de Entre Douro e Minho

PODRIDÃO CINZENTA na vinha (Botrytis cinerea)

Na semana anterior, observámos os primeiros focos, muito ligeiros, de podridão cinzenta no cacho.O ataque foi facilitado, possivelmente,pelo rachamento de bagos devido a stress hídrico e por um ou outro furo de traça-da-uva. Esta semana, detetamos outros focos de podridão cinzenta, já com expressão preocupante.

Recordamos: o 4º e último tratamento standard contra a Botrytis deve ser feito 3 semanas a 1 mês antes da data prevista de vindima.O tratamento justifica-se sobretudo em vinhas e castas mais sensíveis à podridão cinzenta. Tenha sempre em conta o intervalo de segurança do fungicida que utilizar(Quadro 1). Recomenda-se, nesta fase, a aplicação de um produto com intervalo de segurança curto.

Se o período final de maturação das uvas vier a decorrer sem chuva e não houver ataques de traça e de Botrytis significativos, deverá avaliar a situação e se o risco for pequeno, não realizar o 4ºtratamento standard contra a Botrytis. Para combate à podridão cinzenta no Modo de Produção Biológico,estão homologados fungicidas à base de Aureobasidium pullulans(BOTECTOR), de Bacillus subtilis(SERENADE MAX), de Bacillus amyloliquefaciens MBI 600(SERIFEL), de Pythium oligandrum(POLYVERSUM) e de hidrogenocarbonato de potássio(ARMICARB).

Esta circular, bem como edições anteriores, pode também ser consultada e descarregada em:

1 – www.drapn.pt

Fitossanidade > Avisos Agrícolas > Entre Douro e Minho

2 –  http://snaa.dgav.pt/

estações de avisos > Estação de Avisos de Entre Douro e Minho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here