Começou agora a ter plantas de interior em casa e não sabe bem como cuidar delas? Não sabe quais os cuidados essenciais que deve ter? quais os principais problemas?

Neste artigo, partilho consigo um guia básico para iniciantes com dicas básicas que vai certamente gostar. Tem um caderninho à mão para apontar tudo? 😊

Escolha o local adequado da sua casa para as suas plantas de interior

A questão que se coloca aqui é: “Qual o local mais adequado da minha casa para colocar as minhas plantas de interior?

Para obter esta resposta tem de pensar em fatores como a temperatura e a luminosidade que cada planta prefere. Pode obter essas informações no momento da compra, em qualquer viveiro ou garden center com profissionais especializados.

Mas… quais as dicas principais?


Bem, a maioria das plantas de interior prefere
, no Inverno, temperaturas entre as 10 e 16ºC, sendo muitas vezes problemático quando as temperaturas à noite baixam significativamente. 

Ainda relativamente a este assunto, saiba também que as plantas de interior sobrevivem bem ao Inverno com temperaturas entre os 18 e 22ºC dentro de casa, se receberem bastante luz e a humidade atmosférica for suficiente.

Por outro lado, a temperatura do solo também é importante por isso, a temperatura do solo deverá corresponder à temperatura ambiente dado que, nem a mais robusta das plantas conseguirá sobreviver se tiver os “pés frios” e, ainda para mais, se o substrato for demasiado húmido.

As plantas sensíveis à geada que crescem em vasos maiores podem passar o Inverno em divisões claras e frescas, em vãos de escada ou em jardins de Inverno e algumas espécies poderão até ficar em caves escuras.

A regra geral é a seguinte: quanto mais quente for uma divisão mais clara ela terá de ser e quanto mais fresco for o local mais escuro poderá ser.

 É importante que retenha que há plantas que necessitam de muita luz solar e nesses casos, coloque-as perto de uma janela ou de um local da sua casa que receba luz solar grande parte do dia.

Se as suas plantas de interior têm necessidades médias de luz, coloque-a numa divisão da sua casa luminosa mas que não a receba de forma direta.

Se infelizmente a sua casa não tem muita luz, escolha plantas de interior que se adaptem bem a condições sombrias e que não “sofram” quando colocadas em ambientes mais escuros.

Em suma: cada divisão da casa tem características específicas e por essa razão requer plantas de interior distintas.

Escolha os recipientes certos e mude de vaso quando necessário

Se é daquelas pessoas que mantêm a sua planta de interior indefinidamente no seu vaso original, saiba que está a errar.

Certamente já reparou que várias plantas começam a ficar murchas porque se mantêm continuamente no vaso em que foram adquiridas. Normalmente, esses vasos não tem as dimensões necessárias para que as raízes continuem a crescer e desenvolver-se como esperado.

Aconselho que no máximo após duas semanas, troque a sua planta de interior para um vaso maior, usando um substrato adequado a esse tipo de plantas. Mas desse assunto, falaremos mais à frente neste artigo.

Preencha metade do novo vaso com substrato, coloque a planta e cubra o recipiente com o substrato necessário. Este procedimento deve ser adotado de forma a que as raízes não fiquem posicionadas no fundo do vaso, pois dessa forma, não terão espaço suficiente para se desenvolver como esperado.

Escolha um substrato adequado

Cada tipo de planta o seu substrato e as plantas de interior não são excepção.

Nos momentos de plantação e transplante das suas plantas de interior, utilize SIRO Interior. Além de ter as características físico-quimicas necessárias para este tipo de plantas, possui adubação mineral de libertação controlada até 9 meses lhe permite uma fertilização a longo prazo.  Na sua composição tem também incorporada argila expandida micro granulada que favorece o arejamento/drenagem, criando ao mesmo tempo uma humidade estável, o que promove ótimas condições, para que as plantas tenham um completo desenvolvimento saudável no interior de qualquer espaço.

Está disponível em embalagem de 11 e 50 L.

Saiba mais sobre o substrato aqui.

A drenagem é essencial

Se me perguntassem um dos pontos críticos que mais interfere no crescimento saudável das suas plantas de interior a resposta seria fácil: uma má drenagem.

No momento de transplanta para um novo vaso, precisa de garantir que o novo vaso ou floreira tem os famosos “furinhos” no fundo do recipiente. Isto porque caso não os tenha, o substrato acabará por ficar com aspeto de “papa” e as raízes devido ao excesso de humidade irão apodrecer além de que o aparecimento de doenças de origem fúngicas é mais propicio.

Com estes furos no vaso vai garantir que a água da rega irá sair mais facilmente, por exemplo.

Nos casos em que o substrato não possua argila expandida, o que não é o caso do SIRO Interior, deverá colocar argila expandida no fundo do vaso para facilitar este processo, por exemplo. 

Muito importante: se usa um pratinho por baixo do vaso, “despeje” a água que vai ficando parada no mesmo frequentemente pois poderá ser foco de futuros problemas para a sua planta.  

Estabeleça um equilíbrio quando rega

Como é natural, a maior parte das plantas de interior necessita de uma maior frequência de rega no Verão do que no Inverno.

Sabia que por exemplo, morrem muito mais plantas por excesso de água do que por falta dela?

Uma boa dica para perceber se a sua planta de interior está a precisar de água ou não é fazer o teste do dedo. Assim, deve colocar o seu dedo (teste do dedo) dentro da terra da sua planta e, se esta estiver seca é sinal que necessita de ser regada. Estabeleça um equilíbrio: não regue de mais nem de menos.

O ideal é que o substrato esteja húmido e nunca molhado.  Caso esteja seco, regar pode ser mesmo o melhor procedimento a adotar.   Garanta também que a água esteja distribuída de forma uniforma por todo o vaso e assim fique disponível à totalidade das raízes.

Comece por ter plantas de interior de fácil manutenção

Se está pouco tempo em caso ou não tem muita experiência a cuidar deste tipo de plantas, é melhor optar por plantas de fácil manutenção. Como sabe, existem plantas que exigem de nós mais tempo e cuidados do que outras e casa seja um jardineiro de primeira viagem é nessas que deve apostar.

Opte por plantas que sejam pouco exigentes em água ou luz e depois, com mais conhecimento compre outras que exijam mais atenção da sua parte.

Algumas plantas de interior de fácil manutenção: espada de São Jorge, aloé Vera, suculentas, clorófitos, etc.

Leia sobre “plantas de interior”

Ninguém nasceu ensinado. E execpto tenha a sorte de ter aprendido com alguém sobre cuidados com plantas de interior, terá de dedicar-se a estudar mais sobre este tipo de plantas.

Vá a workshops, consulte blogs sobre jardinagem e leia livros sobre plantas de interior. Com o tempo, o mundo das plantas será muito mais fácil de ser entendido e compreenderá melhor certos sinais que as plantas apresentarão.

3 livros que aconselho:

A Nação das plantas

Plantas de Interior

Como não matar as plantas de interior

Espero que tenha gostado deste artigo. Conte-me nos comentários, quais os principais cuidados que tem com as suas plantas de interior 😊

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here