Hit enter after type your search item

Descubra o que pode colocar na sua pilha de compostagem

/
/
/
img

Compostagem: um resumo

Nem todos os resíduos que resultam do nosso dia-a-dia, são considerados lixo. Por essa razão, muitos desses resíduos podem ser incorporados directamente na pilha de compostagem.

No entanto, é  um erro pensar que todos os resíduos são  possíveis de serem transformado em composto, e incorporados na pilha da compostagem.

Os materiais para compostagem podem ter origem em estrumes e efluentes da pecuária, resíduos das culturas agrícolas, matos e resíduos da produção florestal, de parques e jardins, da produção de cogumelos, de mercados hortícolas, resíduos alimentares, resíduos da restauração, pastelaria e panificação, resíduos e lamas de agroindústrias ( ex: lagares de azeite e adegas cooperativas) e do processamento de alimentos (ex: fruta, vegetais, cereais…), resíduos urbanos, resíduos de processamento de madeira, entre outros.

Alguns dos materiais indicados acima, permitem produzir compostos com qualidade suficiente para serem utilizados como fertilizantes para a agricultura, enquanto que outros poderão servir para a produção de compostados destinados exclusivamente para a recuperação de espaços degradados, encerramento de aterros ou, eventualmente, ao solo florestal.

compostagem

 

Algumas noções básicas

  • Materiais vegetais frescos e verdes: tendem a ser mais ricos em azoto do que os materiais  secos e acastanhados.
  • O verde resulta da clorofila que tem azoto, enquanto o castanho associa-se ao material lenhoso.
  • No que diz respeito às folhas: a sua senescência ( em que se verifica o amarelecimento das folhas devido à degradação da clorofila) está associada à mobilização do azoto das folhas para outras partes da planta.
  • As folhas senescentes são muito mais pobres em azoto do que as folhas verdes.

compostagem

Materiais utilizados para compostagem

Os materiais usados nas pilhas  são divididos em duas classes:

  • Materiais ricos em carbono

Entre este tipo de materiais, podemos considerar os materiais lenhosos tais como:

  1. cascas de árvores;
  2. aparas de madeira e serrim:
  3. podas de jardins;
  4. folhas de árvores;
  5. palhas e fenos;
  6. papel;
  • Materiais ricos em azoto

Entre este tipo de materiais incluem-se:

  • folhas verdes;
  • estrumes de animais;
  • urinas;
  • restos de hortícolas e frutas;
  • erva;
  • restos de alimentos;

Outros materiais que pode colocar na pilha de compostagem

  • cascas de ovos;
  • pão;
  • massa;
  • aparas de jardim;
  • cartão;

Materiais que deve evitar na sua pilha de compostagem

Evite a todo o custo adicionar à sua pilha de compostagem os seguintes materiais:
  • gorduras;
  • lacticimios;
  • carne;
  • peixe e marisco;
  • cinzas em grande quantidade;

Materiais que são proibidos adicionar à pilha de compostagem

  • pilhas;
  • vidro;
  • plástico;
  • medicamentos;
  • produtos químicos;
  • têxteis e tintas;
  • excrementos dos animais domésticos;
  • restos de plantas doentes;

compostagem

Pontos principais que deve reter

Os materiais de compostagem a adicionar à pilha não devem ser: vidros, plásticos, tintas, óleos, metais, pedras entre outros materiais dispensáveis.

Deve evitar ao máximo alimentos/resíduos com gordura uma vez que pode proporcionar a libertação de ácidos gordos que causam maus cheiros, retardando o processo de compostagem e prejudicando a qualidade do compostado formado.

Quantos aos ossos, estes só devem ser adicionados se forem moídos previamente devendo também a carne ser evitada numa pilha de compostagem correndo o risco de atrair animais esfomeados ao seu encontro.

Relativamente ao papel, este não deve exceder 10% da pilha de compostagem, devendo o papel encerado e com cor ser evitado  ao máximo, por ser mais difícil de decompor e porque pode conter metais pesados.

Será que sabia isto sobre a compostagem? Confira

 

Dimensão das partículas da pilha de compostagem

A dimensão das partículas dos materiais a serem adicionados à pilha afecta a densidade, porosidade, capacidade de retenção de água e outras características dos compostados, sendo os micro-poros responsáveis pela retenção e disponibilidade de água e os poros de maiores dimensões responsáveis pela capacidade de arejamento do compostado.

É importante também reter que:

  • as partículas mais pequenas são decompostas mais rapidamente uma vez que quanto menor for o tamanho das partículas, maior é a superfície específica e mais facilmente ocorre o ataque microbiano aos materiais em decomposição;
  • No entanto, quando se tratam de partículas mais pequenas  os riscos de compactação e falta de oxigénio são maiores ( caso não exista um arejamento adequado da massa de compostagem).
  • Na mistura dos materiais na pilha, é conveniente utilizar uma mistura de materiais ricos em carbono( fornecem a matéria orgânica) com materiais ricos em azoto (aceleram o processo de compostagem).

compostagem

 

Agora que já sabe os materiais  que pode ou não colocar na sua pilha de compostagem, certamente que o resultado final será espectacular. Não se esqueça de me contar como correu 🙂

 

Subscreve o meu Canal de Youtube

 

2 Comments

  1. Bom dia Cientista Agrícola. tenho acompanhado as suas dicas e tenho aprendido. Interesso-me pelos solos, controlo de pragas e compostagem. Sempre tive dúvidas quanto à introdução de massas e arroz na compostagem. A massa já respondeu; pode ser utilizada. E o arroz? Continuação de um óptimo trabalho

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This div height required for enabling the sticky sidebar
Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views :