Agricultura sustentávelCuidados e manutençãoDicas e informações úteis

Descubra o que pode colocar na sua pilha de compostagem

Compostagem: um resumo

Nem todos os resíduos que resultam do nosso dia-a-dia, são considerados lixo. Por essa razão, muitos desses resíduos podem ser incorporados directamente na pilha de compostagem.

No entanto, é  um erro pensar que todos os resíduos são  possíveis de serem transformado em composto, e incorporados na pilha da compostagem.

Os materiais para compostagem podem ter origem em estrumes e efluentes da pecuária, resíduos das culturas agrícolas, matos e resíduos da produção florestal, de parques e jardins, da produção de cogumelos, de mercados hortícolas, resíduos alimentares, resíduos da restauração, pastelaria e panificação, resíduos e lamas de agroindústrias ( ex: lagares de azeite e adegas cooperativas) e do processamento de alimentos (ex: fruta, vegetais, cereais…), resíduos urbanos, resíduos de processamento de madeira, entre outros.

Alguns dos materiais indicados acima, permitem produzir compostos com qualidade suficiente para serem utilizados como fertilizantes para a agricultura, enquanto que outros poderão servir para a produção de compostados destinados exclusivamente para a recuperação de espaços degradados, encerramento de aterros ou, eventualmente, ao solo florestal.

compostagem

 

Algumas noções básicas

  • Materiais vegetais frescos e verdes: tendem a ser mais ricos em azoto do que os materiais  secos e acastanhados.
  • O verde resulta da clorofila que tem azoto, enquanto o castanho associa-se ao material lenhoso.
  • No que diz respeito às folhas: a sua senescência ( em que se verifica o amarelecimento das folhas devido à degradação da clorofila) está associada à mobilização do azoto das folhas para outras partes da planta.
  • As folhas senescentes são muito mais pobres em azoto do que as folhas verdes.

compostagem

Materiais utilizados para compostagem

Os materiais usados nas pilhas  são divididos em duas classes:

  • Materiais ricos em carbono

Entre este tipo de materiais, podemos considerar os materiais lenhosos tais como:

  1. cascas de árvores;
  2. aparas de madeira e serrim:
  3. podas de jardins;
  4. folhas de árvores;
  5. palhas e fenos;
  6. papel;
  • Materiais ricos em azoto

Entre este tipo de materiais incluem-se:

  • folhas verdes;
  • estrumes de animais;
  • urinas;
  • restos de hortícolas e frutas;
  • erva;
  • restos de alimentos;

Outros materiais que pode colocar na pilha de compostagem

  • cascas de ovos;
  • pão;
  • massa;
  • aparas de jardim;
  • cartão;

Materiais que deve evitar na sua pilha de compostagem

Evite a todo o custo adicionar à sua pilha de compostagem os seguintes materiais:
  • gorduras;
  • lacticimios;
  • carne;
  • peixe e marisco;
  • cinzas em grande quantidade;

Materiais que são proibidos adicionar à pilha de compostagem

  • pilhas;
  • vidro;
  • plástico;
  • medicamentos;
  • produtos químicos;
  • têxteis e tintas;
  • excrementos dos animais domésticos;
  • restos de plantas doentes;

compostagem

Pontos principais que deve reter

Os materiais de compostagem a adicionar à pilha não devem ser: vidros, plásticos, tintas, óleos, metais, pedras entre outros materiais dispensáveis.

Deve evitar ao máximo alimentos/resíduos com gordura uma vez que pode proporcionar a libertação de ácidos gordos que causam maus cheiros, retardando o processo de compostagem e prejudicando a qualidade do compostado formado.

Quantos aos ossos, estes só devem ser adicionados se forem moídos previamente devendo também a carne ser evitada numa pilha de compostagem correndo o risco de atrair animais esfomeados ao seu encontro.

Relativamente ao papel, este não deve exceder 10% da pilha de compostagem, devendo o papel encerado e com cor ser evitado  ao máximo, por ser mais difícil de decompor e porque pode conter metais pesados.

Será que sabia isto sobre a compostagem? Confira

 

Dimensão das partículas da pilha de compostagem

A dimensão das partículas dos materiais a serem adicionados à pilha afecta a densidade, porosidade, capacidade de retenção de água e outras características dos compostados, sendo os micro-poros responsáveis pela retenção e disponibilidade de água e os poros de maiores dimensões responsáveis pela capacidade de arejamento do compostado.

É importante também reter que:

  • as partículas mais pequenas são decompostas mais rapidamente uma vez que quanto menor for o tamanho das partículas, maior é a superfície específica e mais facilmente ocorre o ataque microbiano aos materiais em decomposição;
  • No entanto, quando se tratam de partículas mais pequenas  os riscos de compactação e falta de oxigénio são maiores ( caso não exista um arejamento adequado da massa de compostagem).
  • Na mistura dos materiais na pilha, é conveniente utilizar uma mistura de materiais ricos em carbono( fornecem a matéria orgânica) com materiais ricos em azoto (aceleram o processo de compostagem).

compostagem

 

Agora que já sabe os materiais  que pode ou não colocar na sua pilha de compostagem, certamente que o resultado final será espectacular. Não se esqueça de me contar como correu 🙂

 

[maxbutton id=”1″ ]

 

Artigos Relacionados

4 Comentários

  1. Bom dia Cientista Agrícola. tenho acompanhado as suas dicas e tenho aprendido. Interesso-me pelos solos, controlo de pragas e compostagem. Sempre tive dúvidas quanto à introdução de massas e arroz na compostagem. A massa já respondeu; pode ser utilizada. E o arroz? Continuação de um óptimo trabalho

  2. Entre os materiais para compostagem proibidos entendi que os excrementos de animais domésticos são considerados impróprios. Assim, gostaria de saber se os excrementos dos porcos são mesmo inconvenientes na compostagem. Obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo