Quinta-feira, Abril 18, 2024

11 Tipos de coberturas do solo para melhorar a sua horta e jardim

Bem, este tema foi muito pedido… e cá estou eu a falar sobre o assunto. Neste artigo, partilharei alguns dos melhores exemplos sobre coberturas do solo para melhorar a sua horta e jardim. Já costuma usar coberturas do solo na sua horta? orgânicas ou inorgânias? quais as suas favoritas?

O que são coberturas do solo e para que servem?

A cobertura do solo também conhecida como mulching  é um elemento fundamental para criar um jardim de baixa manutenção. A sua presença proporciona uma série de benefícios essenciais, contribuindo para a retenção de humidade, a supressão do crescimento de plantas infestantes e, adicionalmente, conferindo atributos como a fertilização, o isolamento térmico do solo e o apelo estético.

Independentemente do material escolhido, todos os tipos de cobertura partilham o mesmo objetivo primordial: criar uma barreira física entre o solo e a exposição direta ao sol. Isto resulta na redução da evaporação da água do solo, o que é crucial para a conservação da humidade, além de dificultar o desenvolvimento de infestantes, que encontram obstáculos significativos para emergir.

Os benefícios secundários da cobertura do solo incluem a capacidade de fornecer nutrientes ao solo, pois muitos materiais orgânicos decompõem-se gradualmente, enriquecendo a composição do solo ao longo do tempo. Além disso, a cobertura atua como isolante térmico, protegendo o solo contra variações de temperatura e criando condições ideais para o crescimento saudável das plantas.

Antes de explorar os diversos tipos de cobertura disponíveis, é imperativo considerar as necessidades específicas da sua horta ou jardim. Se o seu objetivo é proporcionar eficiência e embelezamento estético do seu jardim ou horta, opções como estilha de madeira ou pedra-pomes podem ser adequadas. Caso procure uma cobertura capaz de absorver o excesso de humidade em áreas inclinadas, a palha ou aparas finas de madeira podem ser opções viáveis. Já no contexto de um canteiro, coberturas como palha, estilha de finos de madeira ou composto podem destacar-se como escolhas ideais.

As coberturas orgânicas e inorgânicas desempenham papéis distintos no âmbito da jardinagem e da horticultura, cada uma oferecendo benefícios específicos para o solo e as plantas. Vamos explorar as características de cada tipo:

Diferença entre coberturas orgânicas e inorgânicas

As coberturas orgânicas são compostas por materiais de origem natural, geralmente provenientes de organismos vivos ou de processos biológicos. Estas coberturas têm a capacidade de decompor-se ao longo do tempo, enriquecendo o solo com nutrientes essenciais. Alguns exemplos comuns de coberturas orgânicas incluem palha, estilha de madeira, folhas e composto.

Estas coberturas orgânicas contribuem para a melhoria da fertilidade do solo, promovendo a retenção de água, controlando a temperatura do solo e suprimindo o crescimento de plantas de infestantes.

As coberturas inorgânicas são compostas por materiais não biodegradáveis, muitas vezes de origem mineral ou sintética. Estes não se decompõem naturalmente, mantendo a sua estrutura original por períodos prolongados. Exemplos comuns de coberturas inorgânicas incluem o plástico, pedras ou seixos, borracha triturada ou tecido paisagístico anti-ervas. As coberturas inorgânicas destacam-se pela sua durabilidade e pela capacidade de fornecer isolamento térmico eficiente. São frequentemente utilizadas em áreas onde a estética de longa duração é prioritária.

Conheça algumas características das coberturas do solo em detalhe

1-Palha

A aplicação de palha como técnica de mulching oferece vantagens significativas para o solo e o crescimento das plantas. Composta por talos secos de cereais como trigo, aveia ou arroz, a palha é uma escolha leve e de rápida decomposição.

Benefícios:

  1. Decomposição Rápida: A palha decompõe-se facilmente, enriquecendo o solo com nutrientes.
  2. Cultivo Direto: Possibilidade de cultivar plantas diretamente na palha/cultivo direto, como batatas, tomates e pimentos.
  3. Adição Regular: Recomenda-se adicionar camadas de palha a cada 1-2 meses para manter a cobertura eficaz.
cultivo na palha
Fonte da imagem: Blog Amor à pele disponível em: https://3.bp.blogspot.com/-K4mYZQ2GnLM/UnKNAfiwY2I/AAAAAAAAAPE/51btsHaNLPw/s1600/DSC01723.JPG

Cuidados:

  1. Seleção Criteriosa: Escolher palha sem feno e isenta de sementes indesejadas é crucial.
  2. Monitorização da Decomposição: Acompanhar a taxa de decomposição para ajustar a adição de camadas.

A palha como mulching destaca-se pela sua versatilidade, proporcionando um ambiente favorável ao desenvolvimento saudável das plantas.

2- Estilha de madeira

A aplicação de estilha de madeira como técnica de cobertura do solo também oferece vantagens significativas para o jardim. Composta por pequenos fragmentos de casca ou madeira triturada, a estilha de madeira é uma escolha durável e esteticamente agradável.

Benefícios:

  1. Durabilidade: A estilha de madeira é resistente e mantém a sua estrutura por longos períodos.
  2. Estética Agradável: Proporciona uma cobertura visualmente apelativa para o jardim.
  3. Drenagem Eficiente: Ajuda na drenagem do solo, evitando a acumulação excessiva de água.
  4. Prevenção de Plantas infestantes: age como uma barreira eficaz contra o crescimento indesejado destas ervas.

Cuidados:

  1. Tamanho Adequado: Escolher estilha de madeira com o tamanho apropriado para evitar a compactação do solo.
  2. Origem Confiável: Certificar-se de que a estilha de madeira é proveniente de fontes confiáveis, sem tratamentos químicos prejudiciais.

A estilha de madeira destaca-se pela sua durabilidade e capacidade de proporcionar uma cobertura visualmente atraente, sendo uma opção eficaz para a gestão do solo na horta e jardim.

coberturas de solo o que são
Estilha de madeira

3- Folhas

A aplicação de folhas como técnica de cobertura do solo apresenta diversos benefícios para o jardim. Sendo uma opção natural e facilmente disponível, as folhas oferecem uma série de vantagens práticas.

Benefícios:

  1. Decomposição de nutrientes: As folhas em decomposição enriquecem o solo, libertando nutrientes essenciais para as plantas.
  2. Isolamento Térmico: Servem como isolante térmico, protegendo as raízes das plantas contra variações de temperatura.
  3. Retenção de Humidade: Ajudam a reter a humidade no solo, contribuindo para a hidratação adequada das plantas.
  4. Prevenção de plantas infestantes: Formam uma camada eficaz que inibe o crescimento das ervas daninhas.

Cuidados:

  1. Shredding Opcional: Triturar as folhas facilita a decomposição e evita a formação de camadas compactas.
  2. Variedade de Árvores: Utilizar variedades de folhas distintas, evitando aquelas que podem compactar em demasia.
mulching
Folhas de árvores

4- Agulhas de pinheiro

A utilização de agulhas de pinheiro como técnica de cobertura do solo apresenta benefícios específicos para determinados ambientes e plantas. Estas agulhas, provenientes de árvores de pinheiro, oferecem características únicas que as tornam uma opção viável.

Benefícios:

  1. Acidez Beneficial: As agulhas de pinheiro contribuem para a acidificação do solo, sendo uma escolha adequada para plantas que prosperam em ambientes ácidos.
  2. Drenagem Eficaz: Permitem uma boa drenagem do solo, prevenindo a acumulação excessiva de água.
  3. Estética Natural: Proporcionam uma estética natural e rústica ao jardim e horta.
  4. Resistência à Decomposição: As agulhas de pinheiro são mais resistentes à decomposição do que outras coberturas, oferecendo durabilidade.

Cuidados:

  1. Compatibilidade de pH: considerar a preferência de plantas acidófilas ao escolher agulhas de pinheiro como cobertura.
  2. Origem Confiável: Assegurar que as agulhas são provenientes de árvores saudáveis e não foram tratadas com produtos químicos prejudiciais.

As agulhas de pinheiro como cobertura do solo destacam-se pela sua contribuição para a acidez do solo e resistência duradoura, sendo especialmente adequadas para certas plantas e ambientes específicos.

coberturas do solo
Agulhas de pinheiro

5-Papelão

A utilização de papelão como técnica de cobertura do solo é uma estratégia prática e acessível, oferecendo benefícios notáveis para o jardim. Este material versátil pode ser uma solução eficaz, sobretudo em determinados contextos.

Benefícios:

  1. Bloqueio Eficaz de Plantas Infestantes: O papelão atua como uma barreira sólida, inibindo o crescimento de plantas infestantes.
  2. Retenção de Humidade: Ajuda a reter a humidade no solo, beneficiando as plantas durante períodos mais secos.
  3. Decomposição Natural: O papelão decompõe-se ao longo do tempo, contribuindo para a fertilização do solo.
  4. Reciclagem Sustentável: A reutilização de papelão como cobertura promove práticas amigáveis ao ambiente.

Cuidados:

  1. Remoção de Tintas e Adesivos: Escolher papelão sem tintas ou adesivos tóxicos, especialmente se aplicado diretamente ao solo.
  2. Camada Adicional Recomendada: Adicionar uma camada de material orgânico sobre o papelão pode melhorar ainda mais os benefícios.

6-Cortes de relva

A utilização de cortes de relva como técnica de cobertura do solo oferece benefícios notáveis para o jardim, transformando um subproduto comum numa valiosa fonte de nutrientes e proteção.

Benefícios:

  1. Fornecimento de Azoto: Os cortes de relva são ricos em azoto, agindo como uma fonte natural deste nutriente essencial para as plantas.
  2. Retenção de Humidade: Formam uma camada que ajuda a reter a humidade no solo, contribuindo para a hidratação das plantas.
  3. Decomposição Rápida: Os cortes de relva decompõem-se rapidamente, enriquecendo o solo com nutrientes valiosos.
  4. Prevenção de Ervas Daninhas: A cobertura densa inibe o crescimento de plantas infestantes, proporcionando um ambiente mais limpo.

Cuidados:

  1. Camada Fina Recomendada: Evitar camadas muito espessas para evitar a compactação e facilitar a decomposição.
  2. Evitar Relva Tratada com Produtos Químicos: Se utilizar cortes de relva provenientes de relvados tratados, garantir que não contenham resíduos de produtos químicos prejudiciais.
Cortes de relva

7-Composto

A utilização de composto como técnica de cobertura do solo é uma estratégia altamente benéfica, aproveitando um recurso rico em nutrientes para promover a saúde das plantas e a fertilidade do solo.

Benefícios:

  1. Nutrientes Enriquecidos: O composto é uma fonte rica em nutrientes essenciais para o crescimento saudável das plantas.
  2. Melhoria da Estrutura do Solo: Contribui para a estrutura do solo, aumentando a sua capacidade de retenção de água e arejamento.
  3. Fornecimento Sustentável: A reciclagem de resíduos orgânicos para criar composto é uma prática sustentável e amiga do ambiente.
  4. Controlo de Plantas Infestantes: Uma camada de composto pode ajudar a inibir o crescimento de plantas infestantes, mantendo um ambiente mais limpo.

Cuidados:

  1. Composto Maduro: Utilizar composto que tenha atingido um estágio de maturação adequado para evitar a possível presença de sementes de ervas daninhas.
  2. Aplicação Adequada: Distribuir uniformemente, evitando camadas demasiado espessas que possam dificultar a penetração de água.
Composto

8-Coberturas de borracha

A utilização de cobertura de borracha como técnica de revestimento do solo é uma opção com características específicas, oferecendo benefícios distintos para determinadas aplicações.

Benefícios:

  1. Durabilidade: A cobertura de borracha é duradoura, mantendo a sua integridade ao longo do tempo.
  2. Estética e Segurança: Ideal para áreas de recreação infantil, proporcionando uma superfície macia e segura.
  3. Isolamento Térmico: Ajuda a manter a temperatura do solo, especialmente em climas mais frios.
  4. Baixa Manutenção: Requer pouca manutenção e não se decompõe, proporcionando uma solução de longa duração.

Cuidados:

  1. Origem e Qualidade: Assegurar que a cobertura de borracha utilizada é de qualidade e proveniente de fontes seguras.
  2. Controlo de Temperatura: Evitar em áreas propensas a altas temperaturas, pois a borracha pode aquecer em condições climáticas extremas.

Embora a cobertura de borracha tenha várias vantagens, é importante considerar também as suas potenciais desvantagens:

  1. Impacto Ambiental: A produção e eliminação da cobertura de borracha podem ter um impacto ambiental negativo. A maioria das borrachas provém de pneus reciclados, mas o processo de reciclagem pode ser poluente.
  2. Calor: Em climas quentes, a cobertura de borracha pode aquecer significativamente, tornando-a desconfortável para tocar e pode potencialmente aumentar a temperatura da área circundante.
  3. Cheiro: Alguns utilizadores relatam que a cobertura de borracha emite um odor característico, especialmente quando exposta a altas temperaturas.
  4. Desgaste e Fragmentação: Com o tempo, a cobertura de borracha pode desgastar-se e fragmentar-se, criando pequenos pedaços que podem ser levados pelo vento ou lavados pela chuva.
  5. Possíveis Riscos à Saúde: Algumas preocupações foram levantadas sobre a potencial libertação de substâncias químicas da borracha, o que pode representar riscos à saúde, especialmente em áreas onde crianças brincam.
  6. Custo Inicial: Comparada a outras opções de cobertura do solo, a borracha pode ter um custo inicial mais elevado, tornando-se menos acessível para alguns utilizadores.

Ao considerar a cobertura de borracha, é importante pesar cuidadosamente estes pontos negativos em relação aos benefícios específicos que ela oferece para determinadas aplicações.

Raspa de pneus de borracha. Fonte: https://resoambiental.com/wp/wp-content/uploads/2015/10/raspa-de-borracha-reso-495×400.jpg

9- Pedra Pomes

A utilização de pedra-pomes como cobertura do solo possui vantagens distintas, mas é crucial considerar também as desvantagens associadas a esta opção:

Vantagens:

  1. Leveza: A pedra-pomes é leve, facilitando a aplicação e manuseio.
  2. Arejamento do Solo: Contribui para o arejamento do solo, promovendo um ambiente mais oxigenado para as raízes das plantas.
  3. Retenção de Humidade: Ajuda na retenção de água, beneficiando as plantas durante períodos secos.
  4. Isolamento Térmico: Oferece isolamento térmico, mantendo temperaturas do solo mais equilibradas.
  5. Durabilidade: É uma opção duradoura que não se decompõe rapidamente.

Desvantagens:

  1. Acidez: A pedra-pomes pode ter uma ligeira acidez, o que pode não ser ideal para plantas que preferem solos alcalinos.
  2. Custo Inicial: Comparada a algumas opções orgânicas, a pedra-pomes pode ter um custo inicial mais elevado.
  3. Estética: Algumas pessoas podem considerar a aparência da pedra-pomes menos atraente em comparação com coberturas orgânicas.

Ao escolher a pedra-pomes como cobertura do solo, é fundamental avaliar essas características para garantir que atenda às necessidades específicas do seu jardim e às preferências estéticas.

Pedra pomes

10- Seixos

A escolha de seixos como cobertura do solo oferece características únicas, mas é essencial considerar tanto as vantagens quanto as desvantagens associadas a esta opção:

Vantagens:

  1. Durabilidade: Os seixos são duradouros e não se decompõem, proporcionando uma cobertura de longa duração.
  2. Estética Atraente: Oferece uma estética atraente e contemporânea, complementando diversos estilos de paisagem.
  3. Drenagem: Favorece a drenagem eficaz da água, prevenindo a acumulação em determinadas áreas.
  4. Baixa Manutenção: Requer pouca manutenção ao longo do tempo, mantendo a sua aparência original.

Desvantagens:

  1. Retenção de Calor: Em climas quentes, os seixos podem reter calor, influenciando a temperatura do solo.
  2. Custo Inicial: Comparativamente, os seixos podem ter um custo inicial mais elevado em comparação com algumas opções orgânicas.
  3. Movimentação: Pode ocorrer movimentação dos seixos ao longo do tempo, especialmente em áreas sujeitas a ventos fortes ou atividade animal.
Seixos

11- Plástico

A utilização de plástico como cobertura do solo apresenta vantagens específicas, mas também implica considerações importantes sobre desvantagens associadas a esta escolha:

Vantagens:

  1. Supressão Eficaz de Plantas infestantes: O plástico atua como uma barreira física, impedindo o crescimento de ervas daninhas no solo.
  2. Conservação de Humidade: Auxilia na retenção da humidade do solo, evitando a sua evaporação excessiva.
  3. Aquecimento do Solo: Em climas mais frios, o plástico pode aquecer o solo, beneficiando o crescimento de algumas plantas.
  4. Durabilidade: É uma opção duradoura que não se decompõe rapidamente.

Desvantagens:

  1. Restrição da Arejamento do Solo: O plástico pode limitar a entrada de ar no solo, prejudicando o arejamento necessário para as raízes.
  2. Acumulação de Calor Excessivo: Em climas quentes, o plástico pode acumular calor em excesso, potencialmente prejudicando as plantas.
  3. Impacto Ambiental: A produção, utilização e eliminação do plástico podem ter um impacto ambiental negativo, contribuindo para a poluição.
  4. Inflexibilidade: Uma vez colocado, o plástico é difícil de ajustar, o que pode ser problemático para o crescimento de novas plantas.

Ao considerar o plástico como cobertura do solo, é crucial ponderar cuidadosamente estas características em relação às necessidades específicas do seu jardim, bem como considerações ambientais.

Coberturas do solo usando plástico

Em suma as cobeturas do solo…

Na escolha entre coberturas orgânicas e inorgânicas para o solo, diversos fatores devem ser considerados, alinhados às necessidades específicas do jardim.

Coberturas orgânicas, como palha, folhas, e estilha de madeira, destacam-se por contribuir para a fertilidade do solo à medida que se decompõem. Além disso, promovem a retenção de humidade e melhoram a estrutura do solo. Entretanto, requerem reposição frequente devido à decomposição e podem atrair pragas.

Por outro lado, as coberturas inorgânicas, como plástico, pedra-pomes, e seixos, oferecem longa durabilidade e eficácia na supressão de plantas infestantes.  Também contribuem para a estética paisagística. No entanto, não enriquecem o solo com nutrientes, podem reter calor excessivo em climas quentes e apresentam potenciais impactos ambientais.

A decisão final deve levar em conta a estética desejada, o nível de manutenção pretendido e as necessidades específicas das plantas e do ambiente. Em muitos casos, a combinação equilibrada de ambos os tipos de cobertura pode maximizar os benefícios oferecidos por cada opção.

Quais destes materiais costumam usar como coberturas de solo?

acientistaagricola
acientistaagricolahttp://acientistaagricola.pt
Olá, sou a Rosa. Nasci e cresci em meio rural e desde cedo percebi o que queria fazer para o resto da vida. Mais tarde, quando entrei no ensino superior tornei-me Técnica Superior do Ambiente e Agrónoma, áreas que sempre me fascinaram. Este blog é mais do que um projecto pessoal...é  o culminar de duas paixões: a escrita e as ciências ambientais e agrárias. Este é um local de encontro entre todos aqueles que partilham destas mesmas paixões. 

Related Articles

Queres receber as nossas newsletters?

Preencha os campos abaixo para se inscrever.

* ao clicar em "inscrever", está a aceitar as nossas condições de marketing.
- Publicidade -spot_img
spot_img

Últimos artigos