O Parque de Máquinas agrícola: capacidade e tempo de trabalho

Autor do artigo: José Pena, Técnico Superior de Mecanização e Automação Agrícola

A importância das máquinas agrícolas para o desenvolvimento do sector agrícola

Ao longo dos anos a mecanização agrícola ocupa um patamar de importância que pretende dar resposta à procura de maior potência e de máquinas mais avançadas tecnologicamente nas explorações, e com isso representar o maior custo de produção. É benéfico que a mecanização das explorações agrícolas cresça, mas esta deve ser estruturada e previamente pensada, reforçada de uma boa gestão (Faria, 2017). Após a entrada na União Europeia, Portugal era um país atrasado e pouco moderno em relação à média europeia e seguiu um novo rumo com a atribuição de subsídios a fundo perdido para a instalação/renovação de equipamentos mecânicos. Na verdade, a modernização abrangeu também explorações agrícolas com a aquisição de máquinas agrícolas para colmatar o défice de máquinas e a modernização de outras, para acompanhar a média de outros países, quer em número quer em necessidade.A gestão do parque de máquinas agrícolas deve ser realizada conjugando o trabalho a produzir com o tempo disponível, gerindo as máquinas disponíveis (e a sua potência) para manter um nível de custos fixos e variáveis razoáveis.

máquinas agrícolas

 

Além disso a gestão passa também pela rentabilidade total da exploração que é feita tendo em vista alguns factores (Ortiz-Canavate, 1989):

  • Factores institucionais: Subsídios, promoções, formação profissional;
  • Factores infraestruturais: Qualidade da rede viária, disponibilidade de água e de energia elétrica, oficinas;
  • Dimensão do sistema de mecanização: Capacidade das máquinas em função das culturas e das áreas das parcelas agrícolas;
  • Necessidade de potência: Desempenho da potência, tamanho e tipo de equipamento em função do terreno e solo;
  • Custos: Aquisição de máquinas próprias, aluguer de máquinas ou necessidade de prestação de serviços
  • Sociais: Mão de obra disponível, estatuto social, efectivo humano.

 A capacidade de trabalho que o parque de máquinas agrícolas apresenta é a característica operativa mais importante, determinada pela quantidade de trabalho realizada (culturas por área ou número de parcelas trabalhadas) e o tempo de operação das máquinas que realizam esse mesmo trabalho (hora, dia, época de trabalho).

máquinas agrícolas para venda

A capacidade de trabalho global de um parque de máquinas agrícolas

A capacidade de trabalho global de um parque de máquinas agrícolas depende da capacidade de trabalho efetiva, calculada tendo em conta o desempenho das máquinas, utilizando observações de campo e a seguinte fórmula matemática:

C (ha/h) = V (Km/h) x L (m) x E (%) / 10

C = Capacidade de trabalho efetiva em termos de área trabalhada num certo período temporal

V = Velocidade média de deslocação de uma máquina durante a operação.

L = largura de trabalho da máquina.

E = Eficiência de campo: (desempenho de uma máquina nas condições atuais de campo e o desempenho máximo teórico que essa máquina tem).

(Carvalho, 2017)

Principais factores que afectam a capacidade de trabalho efetiva de um parque de máquinas agrícolas

Os principais factores que afetam a capacidade de trabalho efetiva de um parque de máquinas são:

  • Características de operação das máquinas;
  • Características físicas da própria máquina (velocidade, dimensões manobrabilidade, manutenção);
  • O desempenho das máquinas em função da dimensão e forma da parcela ou tipo de solo (textura, rochas presentes);
  • Características biológicas da cultura a ser trabalhada:

– Produção e densidade da cultura;

– Variedade das culturas;

  • Características ambientais, onde se destacam as condições climáticas e estados meteorológicos;
  • Tomadas de decisão do operador:

– Conhecimento das condições de trabalho;

– Habilidade e experiência com as máquinas;

– Conforto com máquina e conhecimentos de segurança para o rendimento da tarefa e do trabalho.

máquinas agrícolas para venda

Fonte de imagem:John Deere

 

Máquinas agrícolas e a sua capacidade de trabalho efectivo

Na capacidade de trabalho efectivo temos de ter em conta a eficiência de campo que varia tendo em conta o:

  • O tamanho e forma das parcelas agrícolas;
  • A modelação e teor humidade do solo;
  • O modelo de execução do trabalho;
  • A produção e condições da cultura;
  • O tempo despendido devido à capacidade do operador e as suas políticas de operação;
  • O não uso de toda a capacidade da máquina.

A capacidade de trabalho varia também com o tempo disponível que é o tempo de trabalho que uma máquina demora a executar uma operação em função da área.  É um fator de caracterização do desempenho das máquinas com o significado e valor inverso da capacidade de trabalho (Witney, 1988).

 

máquinas agrícolas no olx

Fonte da imagem: TecMundo

 

Os factores que afetam o tempo disponível das máquinas agrícolas

  • Características ambientais:

– Os estados meteorológicos durante o período de trabalho ou época cultural são o principal factor limitante dada a sua imprevisibilidade;

– As características do solo e os possíveis problemas de tracção associados;

  • Características físicas das máquinas:

– Desempenho das máquinas em função da dimensão e forma da parcela além do declive e tipo de solo;

– A tipologia da tarefa e sua facilidade de mecanização;

  • Características biológicas da cultura:

– O ciclo cultural é um factor muito limitante derivado à fase de maturação da planta;

  • Tomadas de decisão do gestor e do operador:

– A disponibilidade temporal do operador e a sua flexibilidade de trabalhar fora de horas são factores a ter em conta.

 

Parque de máquinas agrícola português

O parque de máquinas agrícolas português evoluí positivamente ao longo dos anos em termos de aquisições, mas continua a ser considerado um parque envelhecido, presenciando equipamentos agrícolas com idade superior à idade de vida útil recomendada (que é de 10 anos). Com a volatilidade dos mercados existe sempre a incerteza do preço final do produto final produzido, sucedendo-se a variação do custo de máquinas de agrícolas na sua aquisição ou aluguer e ainda a sua utilização e manutenção.

máquinas agricolas usadas a venda

Fonte da imagem: Agrotec

O ajustamento do parque de máquinas e alfaias agrícolas ao nível da exploração deve minimizar as necessidades de mão-de-obra e reduzir o tempo de realização das tarefas, levando à diminuição do desgaste dos equipamentos utilizados e economia de combustíveis.

Se pensarmos num plano a longo prazo tendemos para um aumento da produtividade do equipamento e a contínua inovação tecnológica do parque em função do sector que trabalha.

O futuro da mecanização agrícola passará em parte pelo requerimento de prestadores de serviço em função da região onde se labora e das práticas culturais praticadas, minimizando-se o custo de manutenções dos equipamentos agrícolas e aquisição de novos equipamentos, que apresentam um enorme custo e encargo para o agricultor e exploração.

máquinas agrícolas pdf

Fonte da imagem: Governo do Estado do RS

Sendo de salientar a importância que a agricultura e os agricultores representam ao longo da sua actividade, está dependente destes assegurar o futuro das seguintes gerações, sem descurar a melhoria da sua qualidade de vida e inovando na sua exploração agrícola e seu sector.

Finalizo com uma nota de importância para o risco de segurança dos operadores e manobradores agrícolas em operações agrícolas e florestais, que infelizmente levam a diversos acidentes graves e à morte de operadores. As acções de formação de operadores devem ser parte integrante das preocupações de funcionamento das explorações para permitir o maior conhecimento teórico e prático acerca dos equipamentos utilizados e diminuir acidentes com estes.

 

Bibliografia utilizada:
Carvalho, R. F. Saruga, F. J. B. (2007) “Mecanização Agrícola – 1º e 2º Volume Máquinas Agrícolas”, DGADR.
Faria, V. Paredes, C. Pena, J. (2017) “Formação em contexto de trabalho na Cooperativa Agrícola de Vila do Conde”, Relatório de final de estágio – Curso Técnico Superior Profissional em Mecanização e Automação Agrícola, ESA-IPVC.
Ortiz Canavate, J. Hernandez, J. L. (1989) “Tecnica de la Mecanizacion Agrária (3ª ed)”. Mundi-Prensa, Madrid.
Witney, B. (1988) “Choosing and using farm machines”. Longman Scientifical and Technical,

acientistaagricola

Olá, sou a Rosa. Nasci e cresci em meio rural e desde cedo percebi o que queria fazer para o resto da vida. Mais tarde, quando entrei no ensino superior tornei-me Técnica Superior do Ambiente e Agrónoma, áreas que sempre me fascinaram. Este blog é mais do que um projecto pessoal...é  o culminar de duas paixões: a escrita e as ciências ambientais e agrárias. Este é um local de encontro entre todos aqueles que partilham destas mesmas paixões.  

2 thoughts on “O Parque de Máquinas agrícola: capacidade e tempo de trabalho

    • 21 Agosto, 2018 at 12:14
      Permalink

      Bom dia Carlos Rodrigues 🙂 Fique atento aos próximos artigos 🙂
      Cumprimentos,
      A Cientista Agrícola

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *