Fonte: Agricultura e Mar

A Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza, em parceria com os CTT, com o contributo dos portugueses, atingiram a venda de mais de 100.000 kits através da iniciativa “Uma Árvore pela Floresta”, que já se converteram em mais de 90 mil árvores autóctones plantadas, em Áreas Protegidas e Zonas Classificadas do País, em particular nas zonas mais afectadas pelos incêndios.

Os kits vendidos são convertidos em árvores e arbustos de espécies autóctones, como o freixo, o sobreiro, a azinheira, o medronheiro, ou o castanheiro, de entre 30 espécies, que são plantadas em Áreas Protegidas e Zonas Classificadas com a participação activa de todos os voluntários que se inscreverem no website ou através do email voluntarios@quercus.pt.

Devido à pandemia, as plantações previstas para o primeiro trimestre desta ano incluirão também as 8.000 árvores que não puderam ser plantadas em Março de 2020.

Segundo Paula Nunes da Silva, presidente da Quercus, “numa altura em que o mundo enfrenta simultaneamente uma crise de saúde global, do clima e da biodiversidade, mobilizar a sociedade civil, as ONGA’s e o sector privado é um desafio fundamental. As questões da saúde estão intimamente relacionadas com as questões ambientais e requerem uma acção urgente”.

E acrescenta que a iniciativa “Uma Árvore pela Floresta” é uma “acção concreta no sentido certo, na medida em que é solidária, participativa e promove o envolvimento activo da sociedade civil, do sector privado e da comunidade de negócios na recuperação da nossa floresta autóctone. Ao atingirmos este ano as 100.00 árvores plantadas, queremos agradecer às centenas de pessoas e voluntários que deram o seu contributo. É um resultado incrível, apenas possível se repensarmos a nossa forma de pensar e actuarmos em conjunto”.

Por sua vez, Miguel Salema Garção, director de comunicação e sustentabilidade dos CTT, “é de louvar a generosidade e adesão de todos os portugueses, povo sempre solidário, a esta iniciativa, da qual fazemos parte desde a primeira edição, e que irá permitir atingir a plantação de mais de 100 000 árvores no nosso território, sobretudo em zonas mais afectadas pelos incêndios. Os CTT no âmbito da sua política de sustentabilidade, acreditam na importância de promover a conservação da biodiversidade e a protecção da nossa floresta e continuarão, com entrega total, empenhados nesse sentido”.