Quarta-feira, Maio 22, 2024

10 variedades de laranja diferentes que vai ter que conhecer

Portugal é conhecido pela sua produção de citrinos de alta qualidade, incluindo as diversas variedades de laranja. Cada uma dessas variedades possui  características únicas em termos de sabor, aroma e textura, que as tornam ideais para diferentes aplicações culinárias. Neste artigo, vamos conhecer algumas das variedades de laranja mais produzidas e consumidas em Portugal e suas aplicações culinárias. Também é fã de laranja? Tem alguma laranjeira no seu pomar e/ou jardim ou pretende ter?Foto grátis cena fantástica da laranjeira

Conheça as diferentes variedades de laranja

1-Laranja do Algarve

A laranja do Algarve é uma das mais populares em Portugal e possui um sabor doce e suculento. A região do Algarve, situada no sul de Portugal, possui um clima mediterrâneo com invernos suaves e verões quentes, proporcionando as condições ideais para o cultivo das laranjeiras.

A Laranja do Algarve, também conhecida como “Laranja de Portimão” ou “Laranja Algarvia”, destaca-se pela sua cor brilhante e sabor doce, ligeiramente ácido, sendo muito apreciada para consumo em fresco ou para produção de sumo. O seu sabor único deve-se às condições edafoclimáticas da região e à utilização de práticas agrícolas tradicionais, que resultam em frutos de alta qualidade

Entre as diferentes variedades de laranjas produzidas no Algarve, destacam-se a Newhall, a Navelina e a Lane Late. Estas variedades são colhidas em diferentes épocas do ano, permitindo a disponibilidade de laranjas frescas ao longo de todo o ano.

As laranjeiras do Algarve são cultivadas de forma sustentável, seguindo práticas agrícolas responsáveis, com respeito pelo meio ambiente e pela biodiversidade. Os produtores locais estão empenhados em garantir a qualidade dos frutos e a preservação dos recursos naturais, utilizando métodos de rega eficientes e controlando pragas e doenças de forma integrada.

A produção de laranjas do Algarve tem uma longa história, que remonta ao século XVIII. No entanto, foi no século XX que a cultura da laranja se expandiu na região, tornando-se uma atividade económica importante. Atualmente, a laranja do Algarve é exportada para vários países europeus e é apreciada por consumidores de todo o mundo.

2-Laranja de Sevilha

A laranja de Sevilha é uma variedade de laranja amarga (Citrus aurantium) originária da cidade de Sevilha, no sul da Espanha. Esta laranja é conhecida pelo seu sabor distintamente ácido e amargo, o que a torna menos adequada para consumo direto, mas muito apreciada na indústria alimentar, especialmente na produção de compotas, geleias e licores.

As laranjas de Sevilha possuem uma casca espessa, rugosa e de cor intensa, que é muito rica em óleos essenciais. A polpa é suculenta e, embora seja bastante ácida, tem um sabor muito aromático. É graças a estas características que esta variedade é especialmente apreciada na confecção de compotas e geleias, como a tradicional “marmelada inglesa”, uma geleia de laranja amarga muito popular no Reino Unido.

Vê a receita da marmelada aqui.

Além de serem utilizadas na produção de doces, as laranjas de Sevilha também são um ingrediente-chave na fabricação de licores, como o “Cointreau” e o “Grand Marnier“, que são bebidas alcoólicas à base de laranja amarga com um sabor intenso e único.

O cultivo da laranja de Sevilha remonta a vários séculos e é uma parte importante da história e da cultura agrícola da região da Andaluzia. As árvores de laranja amarga são cultivadas não só em pomares, mas também nas ruas e praças da cidade de Sevilha, onde proporcionam sombra e embelezam o espaço urbano com a sua exuberante floração e cor das laranjas.

3-Laranja “Robertson”

A laranja “Robertson” é uma variedade de laranja doce (Citrus sinensis) cuja origem não é amplamente documentada, mas que é conhecida por suas características desejáveis, tanto para o consumo direto como para a utilização na indústria alimentar.

A laranja “Robertson” é apreciada pelo seu sabor doce e suculento, com um equilíbrio ideal entre doçura e acidez. A polpa é macia e fácil de separar dos gomos, o que a torna agradável para consumo ao natural. Além disso, esta variedade tem um alto teor de suco, o que a torna excelente para a produção de sumos e néctares de laranja.

A casca da laranja “Robertson” é fina, lisa e de cor intensa, o que a torna atraente do ponto de vista estético. As árvores desta variedade são robustas e produtivas, adaptando-se bem a diferentes condições climáticas e de solo.

O cultivo da laranja “Robertson” é feito em diversas regiões produtoras de citrinos ao redor do mundo. A sua popularidade deve-se, em parte, à sua versatilidade e resistência, o que a torna uma opção interessante para os produtores que procuram variedades que possam ser comercializadas tanto para consumo in natura como para a indústria alimentar.

4-Laranja Navel Sangue

A laranja Navel Sangue, também conhecida como laranja de umbigo sanguínea, é uma das variedades de laranja doce (Citrus sinensis) que se destaca pela sua cor interna avermelhada, resultado da presença de antocianinas, pigmentos naturais que também são encontrados em outras frutas e vegetais de cor vermelha, azul ou roxa.

Originária da Espanha, a laranja Navel Sangue tem um sabor doce e ligeiramente ácido, sendo muito apreciada pelo seu equilíbrio entre doçura e acidez. A polpa é suculenta e de textura agradável, o que a torna ideal para consumo ao natural ou em saladas de frutas. A casca é de espessura média, com uma cor laranja intensa e, como o nome sugere, apresenta um “umbigo” na extremidade oposta ao pedúnculo.

A laranja Navel Sangue é rica em vitamina C, assim como outras variedades de laranja, mas também possui um teor mais elevado de antocianinas, que são antioxidantes poderosos e têm sido associadas a diversos benefícios para a saúde, incluindo a prevenção de doenças cardiovasculares e a redução do risco de certos tipos de cancro.

As laranjeiras Navel Sangue são robustas e adaptam-se bem a diferentes condições climáticas e de solo, embora prefiram climas amenos e solos bem drenados. A época de colheita desta variedade ocorre no inverno e início da primavera, dependendo da região em que são cultivadas.

Em Portugal, assim como em outras regiões produtoras de citrinos, a laranja Navel Sangue tem ganhado popularidade entre os consumidores e produtores devido ao seu sabor único e cor interna atrativa. Além disso, o crescente interesse pelos benefícios das antocianinas para a saúde tem impulsionado a procura por esta variedade de laranja no mercado.

Comprar laranjeira Navel Sangue

5- Laranja Baia

A laranja Baía, também conhecida como laranja Bahia ou laranja da Baía, é uma das variedades de laranja doce originária do Brasil, mais especificamente do estado da Bahia. É uma das primeiras variedades de laranja a serem cultivadas e comercializadas no Brasil e tem uma longa história de sucesso na indústria de citrinos do país.

A laranja Baía destaca-se pela sua forma arredondada, casca lisa e brilhante, de cor amarelo-alaranjado e de espessura média. A polpa é suculenta, de cor amarelo-pálido, e apresenta um sabor doce e equilibrado, com uma acidez moderada. Uma característica marcante desta variedade é a presença de sementes, em contraste com outras laranjas mais populares, como a Navel e a Valência, que são praticamente isentas de sementes.

Rica em vitamina C, a laranja Baía é muito apreciada para consumo ao natural, sendo também utilizada no preparo de sucos, geleias, compotas e outros produtos derivados. A casca, por sua vez, pode ser usada como ingrediente aromático na culinária e na produção de bebidas e licores.

A laranjeira da Baía é uma árvore de porte médio, com copa densa e arredondada, adaptando-se bem a diferentes condições de solo e clima. No entanto, prefere solos férteis, bem drenados e clima quente e úmido, típico das regiões tropicais e subtropicais.

Em Portugal, a laranja Baía não é tão comum quanto outras variedades, como a Navel e a Valência, mas pode ser encontrada em feiras e mercados especializados, especialmente entre os apreciadores de laranjas tradicionais e com sabor mais autêntico. O cultivo desta variedade em Portugal é mais restrito, mas é possível encontrar produtores que se dedicam à produção de laranjas Baía, sobretudo nas regiões mais quentes e húmidas do país.

6-Laranja ‘Washington’

A laranja “Washington” é uma das variedades de laranja doce cultivada em Portugal. Pertence à família das Rutáceas e ao gênero Citrus. É uma árvore de porte médio, com altura média de 5 a 6 metros, copa densa e arredondada.

As folhas da laranjeira “Washington” são persistentes, ovaladas, de cor verde brilhante e possuem aroma característico. As flores são brancas e perfumadas, surgindo no final do inverno e no início da primavera.

variedades de laranja

Os frutos são esféricos, de tamanho médio a grande, com casca lisa, fina e de cor laranja brilhante. A polpa é suculenta, doce e com poucas sementes. A laranja “Washington” é colhida de novembro a fevereiro.

Essa variedade de laranja é valorizada por sua qualidade e sabor agradável, sendo utilizada para consumo in natura e na produção de sucos e sobremesas. Além disso, possui alto teor de vitamina C e flavonoides, tornando-se uma opção saudável para a alimentação.

Para o cultivo da laranja “Washington”, são necessárias condições climáticas adequadas, como temperatura média anual de 20 a 25°C e humidade relativa do ar entre 60% e 80%. A planta também precisa de solo bem drenado e fertilizado, com pH entre 5,5 e 6,5.

A laranjeira “Washington” é propagada por enxertia e pode ser cultivada em pomares comerciais ou em pequenas propriedades. É uma cultura de ciclo perene, com produção iniciando-se a partir do segundo ano após o plantio e com vida útil de cerca de 20 anos.

7-Laranja Dom João

A laranja Dom João é uma variedade de laranja com características únicas de sabor e textura. Ela é produzida em Portugal em quantidades limitadas, principalmente na região do Algarve.

A produção da laranja Dom João é realizada em pomares que seguem as práticas agrícolas sustentáveis, com a minimização do uso de produtos químicos e o uso de técnicas de irrigação eficientes. Além disso, a colheita é realizada manualmente para garantir a qualidade dos frutos.

A laranja Dom João é conhecida por sua casca fina e fácil de descascar, além de um alto teor de suco e sabor doce. Ela é geralmente consumida in natura, mas também é utilizada na produção de sucos e sobremesas.

Apesar de ser uma variedade de laranja com produção limitada, a laranja Dom João é muito apreciada por seu sabor e qualidade, sendo consumida tanto no mercado nacional quanto no mercado internacional.

No entanto, a produção da laranja Dom João enfrenta desafios, como a concorrência de outras variedades de laranja e a variação de preços de mercado. Portanto, é importante que sejam desenvolvidas estratégias de marketing para promover e valorizar a produção desta laranja única.

Em resumo, a laranja Dom João é uma variedade de laranja com sabor e textura únicos, produzida em Portugal com práticas agrícolas sustentáveis e colheita manual. Apesar de enfrentar desafios de mercado, ela é altamente valorizada por seu sabor e qualidade, sendo consumida tanto no mercado nacional quanto internacional.

 

8-Laranja do Douro

À medida que nos dirigimos para a zona norte do país, onde predominam maiores altitudes, ventos mais frios e verões mais amenos, encontramos a laranja em um ambiente completamente diferente. Na região do Douro, apesar de não ter um selo IGP, a laranja é um produto tradicionalmente português e é conhecida por ser muito doce, suculenta e caraterística da região. Estima-se que a laranja do Douro pertence à região desde os séculos XIII e XVI.

A laranja do Douro exige solos profundos, soltos e irrigados, sendo cultivada em vales e sopés de montanhas devido à sua sensibilidade às geadas. Além disso, o clima mais frio e seco do Douro confere à laranja um sabor mais intenso e um aroma único.

Uma das particularidades da laranja do Douro é a sua capacidade de manter-se na árvore durante um longo período de tempo em sobrematuração, o que significa que a colheita não é um fator de preocupação para os produtores deste produto. Além disso, a laranja do Douro é rica em vitamina C e outras substâncias benéficas para a saúde.

Embora não tenha o mesmo reconhecimento que a laranja do Algarve, a laranja do Douro é um produto de alta qualidade que merece ser apreciado pelos amantes de laranjas em todo o país.

flor de laranjeiras variedades de laranja

9-Laranja de Ermelo

A zona de Ermelo, apesar de não ser conhecida como uma região tradicional para a produção de laranjas em Portugal, é um exemplo de como um microclima favorável e solos férteis podem permitir a produção de produtos de alta qualidade em áreas inesperadas.

A produção das laranjas de Ermelo é realizada sem o uso de tratamentos fitossanitários convencionais, exceto por uma pulverização de calda bordalesa e estrume de vaca aplicada por cobertura no inverno. A rega das laranjas é feita por inundação quatro vezes durante o verão, o que é uma prática incomum na produção de laranjas.

A colheita das laranjas de Ermelo começa em fevereiro, sendo que os melhores meses são abril e maio. Os frutos são escolhidos com base no peso em relação ao tamanho, e não na cor.

As laranjas de Ermelo são altamente valorizadas por seu sabor e qualidade, sendo utilizadas tanto para consumo in natura quanto para a produção de sumos e sobremesas. Elas são ricas em vitamina C e outras substâncias benéficas para a saúde.

Ainda que a produção de laranjas em Ermelo possa parecer incomum, a região tem um microclima e solos férteis que permitem o desenvolvimento de um produto precoce de casca fina e lisa. Isto demonstra como a produção agrícola pode ser bem-sucedida em áreas inesperadas e não tradicionais.

flor variedades de laranja

10- Laranja de Amares

A região de Amares, conhecida como a capital minhota da laranja, destaca-se na produção deste fruto, símbolo do município, presente no brasão do concelho e em diversas tradições regionais.

A laranja produzida nesta região é de alta qualidade, caracterizada por sua suculência e doçura, sendo o principal destaque dos concursos realizados durante a Feira Franca. A avaliação das laranjas é baseada em parâmetros como o estado sanitário da casca, a espessura da casca e a quantidade de sumo e açúcar.

A colheita da laranja em Amares é realizada entre maio e agosto, e pode ser realizada na árvore, permitindo que o comprador a colha à medida que necessita, seja de forma total ou parcial. Além disso, a planta tem a capacidade de se manter na árvore durante a sobrematuração, tornando possível estender o período de colheita.

As condições climáticas favoráveis e os solos férteis são fatores determinantes para a produção de laranjas em Amares. As laranjas produzidas são altamente valorizadas pela sua qualidade e sabor, sendo utilizadas tanto para consumo in natura quanto para a produção de sucos e sobremesas.

Além de ser um importante produto agrícola, a produção de laranjas em Amares também contribui para o desenvolvimento económico e geração de empregos na região. Amares é um exemplo de como a produção agrícola pode ser uma atividade importante para o desenvolvimento de comunidades rurais em Portugal.

acientistaagricola
acientistaagricolahttp://acientistaagricola.pt
Olá, sou a Rosa. Nasci e cresci em meio rural e desde cedo percebi o que queria fazer para o resto da vida. Mais tarde, quando entrei no ensino superior tornei-me Técnica Superior do Ambiente e Agrónoma, áreas que sempre me fascinaram. Este blog é mais do que um projecto pessoal...é  o culminar de duas paixões: a escrita e as ciências ambientais e agrárias. Este é um local de encontro entre todos aqueles que partilham destas mesmas paixões. 

Related Articles

Queres receber as nossas newsletters?

Preencha os campos abaixo para se inscrever.

* ao clicar em "inscrever", está a aceitar as nossas condições de marketing.
- Publicidade -spot_img
spot_img

Últimos artigos