Olá! Espero que se encontrem bem e mais importante que tudo, com muita saúde. Hoje venho falar-vos sobre a criação de codornizes. Quem aprecia a sua carne e os ovos? As codornizes são aves muito apreciadas e conhecidas especialmente pelos amantes da gastronomia e até pelos caçadores que procuram estas aves nas atividades cinegéticas. A coturnicultura, nome dado à atividade de criação de codornizes, começou no Japão com a sua domesticação e rapidamente se difundiu uma pouco por toda a Europa. Algumas das características das codornizes que fazem delas tão apreciadas: muito resistentes a doenças, necessitam de pouco espaço para serem criadas, aves robustas, muito férteis, postura abundante, entre outras. Fique a conhecer neste artigo algumas das mais importantes informações sobre estas aves e aprenda a fazer criação de codornizes!

Saiba mais sobre a Coturnix coturnix japonica

É impossível dissociar as codornizes do seu género, Coturnix. Este é composto por nove espécies, dividindo-se as mesmas consoante a sua origem geográfica. Dentro deste género, existem duas espécies bastante conhecidas: a codorniz comum como nome científico é Coturnix coturnix e a codorniz japonesa, Coturnix japonica. Tanto uma espécie como a outra fazem parte da família Phasianidae e da ordem Galliformes assim como fazem parte outro tipo de aves domésticas muito comuns na nossa capoeira tais como as galinhas e os perus. A esta ordem fazem parte outras espécies mais vocacionadas para a caça tais como as perdizes e os faisões.

Coturnix japonica

A Coturnix japonica corresponde à codorniz japonesa ou japónica, com origem no continente asiático e que devido ao seu canto, os japoneses começaram a criá-las em cativeiro. Nos dias de hoje, a codorniz japonesa caracteriza-se por ser uma ave domesticada que faz parte das aves que são criadas tendo como finalidade a obtenção da sua tão apreciada carne e ovos.

Por ser feita a criação de codornizes japonesas há já vários anos, existem várias “provas dadas” sobre a sua resistência a doenças, sua facilidade de criação e excelente capacidade reprodutiva.

A codorniz japonesa mede cerca de 20 cm e apresenta plumagem cor areia e pequenas listas negras e/ou pardas. Em certas partes do seu corpo apresentam uma tonalidade mais clara e em outros, mas escura.

Mas será que sabe distinguir uma codorniz fêmea de um macho?

Macho versus fêmea

Para várias pessoas e devido a algumas mutações que ocorrem nestas aves, pode se observar uma relativa dificuldade em distinguir codornizes fêmeas de machos.

No entanto, não se preocupe. Linhas gerais, os machos caracterizam-se por possuir o peito com uma coloração amarela torrado e as fêmeas apresentam o seu peito com uma coloração amarela mais ténue com uma espécie de “salpico de pintas”/manchas ao longo desta parte do seu corpo. Ainda na região da cloaca, é possível observar algumas diferenças entre machos e fêmeas. Os machos apresentam essa zona com uma coloração rosada e sem penas. Nas fêmeas, a cloaca está localizada na transversal.

No que diz respeito ao comportamento destas aves, os machos são bastante mais agressivos que as fêmeas. Quando atingem a idade adulta, as fêmeas são ligeiramente mais pesadas que os machos.

Reprodução das codornizes

Relativamente à criação de codornizes e mais especificamente a sua reprodução, esta pode ocorrer de formas distintas.

A reprodução feita de forma isolada

As codornizes podem reproduzir-se estando a fêmea e o macho em jaulas distintas e os machos sendo colocados dentro das instalações da fêmea para acasalarem. Normalmente, o macho está dentro da jaula da fêmea durante cerca de 30 minutos, no entanto, caso possua um efetivo numeroso, este pode não ser o método mais adequado dado que exige muito trabalho e dedicação e não permite otimizar processos. O que se costuma fazer neste tipo de reprodução é a colocação de um macho com no máximo duas e três fêmeas.

A reprodução feita em pequenos grupos

Neste método, um macho é colocado numa jaula juntamente com pelo menos duas fêmeas. Comparativamente com o método anterior, é bem menos trabalhoso, permite otimizar todo o processo bem como identificar facilmente quem são os machos reprodutores ( apenas existe um exemplar deste género).

A reprodução feita em grandes grupos

Neste tipo de reprodução, colocam-se numa jaula de grandes dimensões um número considerável de machos (~10) e fêmeas (~30) para que possam acasalar. Embora seja mais fácil otimizar o processo de reprodução através deste método e ser necessário pouca mão de obra, torna-se bastante mais difícil conseguir identificar os machos reprodutores.

Ainda relativamente ao processo de acasalamento/reprodução dos machos e fêmeas, é importante saber identificar a partir de que semana de vida das codornizes estes atingem a maturidade reprodutiva e estão aptas a reproduzir-se.

No caso dos machos, esta maturidade começa a ser visível a partir da 7ª semana de vida e aumenta de intensidade até mais ou menos ao meio ano de vida. A partir desta idade, a sua capacidade de se reproduzir decresce consideravelmente.

No caso das fêmeas, a maturidade reprodutiva começa a partir das 6 semanas de vida com o início da postura de ovos e a partir do 2º mês, o aparecimento dos primeiros ovos fecundados. Por ano, uma codorniz pode produzir até 300 ovos por ano.

A codorniz é uma ave extremamente produtiva, conseguindo produzir quase 1 ovo por dia. Devido a esta característica, é uma espécie muito procurada conseguindo manter um bom ritmo de postura por mais de 1 ano. No entanto, a partir dos 6 meses de idade verifica-se um decréscimo de produtividade.

No entanto, para garantir que estas mantenham as suas capacidades produtivas é necessário que as instalações onde estão inseridas tenham as condições necessárias para o seu pleno desenvolvimento e bem-estar.

As condições a garantir nas instalações são, em regras gerais, muito semelhantes às instalações das restantes aves pecuárias.

Deve garantir que as temperaturas sejam equilibradas evitando ambientes demasiado frios e no extremo, demasiado quentes (ideal temperatura entre os 18-20ºC).

As instalações devem ser também ventiladas permitindo a circulação de ar, com humidade controlado e como é óbvio, com a limpeza e higiene garantidas para evitar o aparecimento de pragas e doenças.

A criação de codornizes apresenta vantagens relativamente a outras aves pecuárias, nomeadamente crescem rapidamente, entram em postura precocemente e são bastante resistentes ao aparecimento de pragas e doenças.

O desenvolvimento embrionário ronda os 16 dias e os indivíduos atingem a idade adulta a partir das 5 semanas.

Qual a alimentação mais adequada para as codornizes?

O tipo de alimentação que deve fornecer às codornizes depende das necessidades nutritivas exigidas em casa fase de produção.

No casos das codornizes mais jovens (pintos) deve garantir que a dieta fornecida satisfaça as necessidades de crescimento e de manutenção (ração com teores de proteína de 17 a 20%). Na fase de engorda destas aves(que dura até 30 dias), deve fornecer-lhes uma dieta que satisfaça o possível aumento de peso destas aves e que garanta as necessidades impostas na fase de manutenção.

No que diz respeito às codornizes reprodutoras, deve fornecer-lhes uma ração que cubra as necessidades de reprodução e postura ( teores de proteína superiores a 23%, bem como os nutrientes necessários na fase de manutenção.

Nas primeiras semanas de vida, deve alimentar as suas codornizes com alimentação concentrada em proteínas. Saiba que para cada fase de vida das codornizes existem vários tipos de alimentos compostos no mercado, consoante as necessidades específicas. Em caso de dúvida, questione nas lojas de agropecuária qual a ração adequada a cada fase das suas aves.

Comparativamente à ração indicada para galinhas, a ração para codornizes tem uma maior concentração de proteína (muitas vezes, designada por “ração para aves de caça”.

Se achar interessante, pode considerar a adição de hortícolas frescas, sementes e cereais à alimentação das suas codornizes.

Comedouros e bebedouros automáticos

No que diz respeito aos recipientes que deve utilizar para alimentar e dar de beber às suas codornizes, aconselho a que utilize comedouros e bebedouros automáticos.

Este tipo de comedouros e bebedouros tem vantagens muito significativas pois não só permite fornecer alimento diariamente como também a a ração e água é consumida no momento, garantindo uma higiene muito superior.

Pode optar também por colocar bebedouros de copo que têm a vantagem acrescida de permitirem que se dê medicação mais eficazmente e de forma mais controlada, que será distribuída por todas as gaiolas ao depósito principal ligadas.

A qualidade da carne e os ovos de codorniz

A carne de codorniz é facilmente identificável quer pela sua aparência e cor, quer pela sua textura e tenrura.

Para produção de carne de codorniz, podem ser utilizados tanto codornizes do sexo feminino como masculino, abatidas com um peso vivo a rondar os 200 gramas.

Também a produção de ovos de codorniz tem ganho cada vez mais adeptos devido a serem ovos bastante nutritivos com uma digestibilidade e palatibilidade muito interessantes.
De reduzido tamanho, os ovos de codornizes podem apresentar distintos padrões de cores de casca variando desde a cor castanha escura, branca, azul ou salpicada.
As codornizes poedeiras podem produzir até dois ovos por dia com intervalos de 12 horas, podendo atingir produtividades de até 500 ovos anuais.

A qualidade dos ovos produzidos depende muito de fatores como genéticos e ambientais, durante o período de postura. Também o peso dos ovos depende muito da estação do ano em que se encontram, sendo os maiores produzidos no Inverno (devido a uma maior ingestão de alimento do que quando comparada ao verão).


Como fazer criação codornizes: saiba quais as instalações mais adequadas

Na esmagadora maioria dos casos, as codornizes são criadas em gaiolas ou jaulas.

Se não pretender comprar uma jaula para ter as suas codornizes, pode ser construir a sua gaiola com baixos custos e manutenção associada.

Para o “chão” da sua gaiola utilize rede e faça-o ligeiramente elevado para facilitar a limpeza da mesma.
Se a sua intenção é criação de codornizes para ovos, faça a base da sua gaiola ligeiramente inclinada para facilitar que estes “rolem” para as partes mais baixas da mesma (pode recolher os ovos duas vezes por dia).

O arejamento dos locais onde vai colocar as gaiolas é também muito importante, devendo colocá-las longe de locais com elementos tóxicos que possam trazer consequências nefastas para as suas aves.

Garanta que as gaiolas são colocadas em locais com uma boa iluminação natural pois é um bom estímulo para a produção de ovos.

O números de codornizes machos e fêmeas a colocar em casa gaiola é também muito importante pois pode ocasionar conflitos. O melhor é não colocar mais do que um macho por jaula caso esta seja de reduzidas dimensões ou casa tenha até 8 fêmeas em cada instalação destas. Para incubar os ovos de codorniz recomendo o uso de incubadoras adequadas para o efeito, veja aqui este artigo para saber mais.

No caso de usar a incubadora artificial, garanta que a humidade varia entre 50% (durante a incubação) e 70% durante o 23º dia de eclosão.

A temperatura da incubadora deve ser ajustada para os 37,7°C. É imprescindível mantê-la sempre constante. No caso de ovo de Couternix é necessário entre 16 e 18 dias para chocar os ovos. Outras raças de codorniz poderão ser necessário mais dias, até 25 dias.

No que diz respeito à limpeza das gaiolas, deve remover a palha e os resíduos com maior frequência possível.

Pode ser vantajoso fornecer às codornizes cascas de ostra pois são uma fonte de cálcio e contribuem para um incremento da qualidade dos seus ovos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here