As plantas companheiras caracterizam-se por serem plantas pertencentes a espécies ou famílias que se conseguem ajudar complementando mutuamente, quer na utilização do espaço ou solo bem como utilização da água, luz e nutrientes. É possível ainda verificar nestas plantas efeitos alelopáticos que podem ser estimuladores ou inibidores entre plantas e pragas de insetos ou organismos auxiliares. Neste novo artigo, dou-lhe a conhecer 10 plantas companheiras para ter na sua horta.

1-Absinto

O absinto (Artemisia absinthium) é caracterizada por ser uma planta aromática e medicinal pertencente à família botânica Asteraceae. Com origem na Europa Central e Meridional, são vários aqueles que conhecem bem as suas propriedades únicas. Para além dos seus benefícios terapêuticos, o absinto marca lugar em muitas hortas. Embora o absinto cresça espontaneamente em terrenos “abandonados”/ não cultivados, terras pobres, pode também ser cultivado.

Quando está no seu pleno desenvolvimento é capaz de atingir cerca de 1 metro de altura e apresenta um caule lenhoso e muito ramificado. As suas sementes são muito pequenas e acinzentadas e a entrada na floração acontece entre os meses de junho e setembro. Se cultivar absinto na sua horta saiba que pode depois utilizar toda a planta desde as suas folhas para a realização de infusões e como condimentos como também a utilização das flores e sementes para aromatizar bebidas.

Como plantas companheiras, as plantas de absinto são utilizadas na bordadura da horta como repelente da traça-da-couve e lagartas.

plantas companheiras absinto

2-Capuchinha/chagas

Há quem as conheça como capuchinhas e há quem as conheça como chagas. Estas plantas de ciclo anual possuem flores muito bonitas e aromáticas com colorações que podem oscilar entre os tons amarelo, laranja e até avermelhado. Para ter estas plantas companheiras na sua horta pode fazê-lo recorrendo à sementeira ou a divisão de touceiras, especialmente durante o período da primavera. Não sendo uma planta muito exigente revela-se de fácil cultivo, desde que não o solo não esteja encharcado para não ocorrer o desenvolvimento de doenças de origem fúngica. Para estimular a floração uma dica que lhe posso dar é que arranque as flores que estiveres murchas (revela-se muito eficaz).

Na horta, as capuchinhas podem ser usadas como “plantas companheiras” em culturas como brócolos, couve-de-bruxelas, repolho, couve-flor, couve, rabanete, abóbora, tomate, etc. Pelo facto de as capuchinhas conseguirem atrair parasitas como os afídeos e a mosca-branca, acabam por evitar que estes vão para outras plantas, protegendo-as. Embora que quando estes plantas companheiras são atacadas perdem muito da sua beleza, são um bom exemplo de plantas que podem ser utilizadas em agricultura biológica para combater de forma mais sustentável pragas de insectos. As partes atacadas por pragas de insectos devem ser removidas.

As capuchinhas são plantas companheiras muito eficazes dado que ajudam a atrair insectos e auxiliares para a horta.

plantas companheiras

3-Funcho

Com origem em várias regiões (Mediterrâneo, norte de África e oeste da Ásia)o funcho tem vindo a ganhar muita popularidade ao longo dos anos. Esta planta possui caule ereto e ramificado que pode atingir até 2 metros de altura. Na época de floração dá origem a flores amarelas de reduzidas dimensões que acabam por conferir um pouco de embelezamento ao local onde estão a ser cultivadas. O período indicado para semear funcho é de Junho a Setembro/Outubro.Nesta tarefa agrícola, aconselho que opte pela sementeira directa em local definitivo. Para isso, escolha um bom local na sua horta para iniciar este cultivo. Pode ainda semear funcho em tabuleiro e transplantar quando as plântulas tiverem cerca de 15 cm, se preferir. No que diz respeito à escolha do local para cultivar funcho não se esqueça que é uma planta perene e por essa razão é capaz de sobreviver por vários anos no local em que a cultivou. Dado que pode atingir cerca de 2 metros de altura, garanta ainda que o seu crescimento não afecta as restantes culturas instaladas ao seu redor. As suas folhas podem atingir cerca de 40cm de comprimento.

Como plantas companheiras, as plantas de funcho são usadas como repelentes de caracóis, lesmas e pulgões. Ajudam ainda a atrair auxiliares para a horta.

Saiba mais sobre a cultura do funcho aqui.

plantas companheiras

4-Tomilho

Existem várias espécies de tomilho, no entanto, o tomilho-comum, o tomilho- limão e o tomilho bela-luz são aqueles que são possíveis de encontrar mais facilmente em Portugal. Esta planta companheira é muito utilizada como aromática mas também como medicinal e condimentar.

 De ciclo perene, o tomilho gosta de uma boa exposição solar e prefere solos bem drenados dado que o excesso de humidade pode ser fatal. A poda nesta planta companheira é muito importante para garantir que esta se mantêm forte e vigorosa, mantendo-se bonita. Entra em floração durante os meses de Maio a Setembro, podendo ser atacada frequentemente por lagartas e doenças como a podridão cinzenta.

Como plantas companheiras, o tomilho caracteriza-se por atrair vários insetos auxiliares como por exemplo as nossas queridas abelhas. Delimita muito bem as bordaduras e ajuda a repelir pragas como a traça-da-couve sendo por isso uma ótima companhia para culturas da família das brássicas.

plantas companheiras

5-Manjericão

Esta planta anual é uma aromática com folhas ovais verdes muito perfumadas que marca presença em muitos pratos culinários portuguesas. Embora seja um aromática muito comum exige alguns cuidados bastante específicos uma vez que é sensível a alguns aspetos. Um dos fatores que mais é necessário prestar atenção é à temperatura dado que não suporta oscilações de temperatura muito intensas nem temperaturas extremamente baixas. A rega é também outro aspeto a considerar pois é uma planta muito sensível a excessos de humidade e solos alagados. Porém, em períodos de seca mais prolongados a rega não pode faltar. Dado que o período da floração é uma fase muito importante para esta aromática um truque que pode aplicar é cortar as primeiras flores para incentivar o seu crescimento e desenvolvimento.
Na horta, o tomilho é uma planta companheira com muitos benefícios. Consociada com culturas como o tomateiro, protege-os de pragas de insectos e doenças incentivando o seu desenvolvimento. O manjericão caracteriza-se ainda por ser um bom repelente de insectos como mosquitos e moscas.

plantas companheiras

6-Hortelã

A hortelã é provavelmente uma das ervas aromáticas mais conhecidas e possui um sabor e aroma que até os mais leigos na cozinha conseguem identificar. É uma erva perene e possui folhas semelhantes a feltro que podem ser usadas nas mais diversas utilidades culinárias.  Existem várias espécies de hortelã devido aos inúmeros cruzamentos e híbridos,  e por essa razão, pode ser mais difícil saber qual espécie escolher.

A hortelâ-dos-jardins é sem dúvida a mais conhecida de entre a lista de espécies existentes.  A Mentha spicata foi introduzida no resto da Europa pelos Romanos e é hoje em dia, muito apreciada e procurada como erva aromática. As suas folhas, podem ser tanto utilizadas em chá como usadas como remédio caseiro para auxiliar a digestão.

Como planta companheira na horta, a hortelã é responsável por repelir formigas, ratos e a traça-da-couve.

Saiba mais sobre o cultivo de hortelã aqui.

7-Poejo

O Poejo é caracterizado por ser uma planta medicinal, com propriedades conhecidas e transmitidas ao longo das gerações. É umas das plantas mais vulgares do género Mentha que possuí uma série de específicidades muito apreciadas pela população. Destaco algumas delas: expectorante, auxilia no processo de digestão, analgésico, anestésico, sedativo, entre outras.

O poejo apresenta também bons resultados no combate da gripe e o resfriado, perda de apetite, azia, cólicas, febre, menstruação atrasada, bronquite, entre outros problemas.

Por esse motivo, o chá de poejo é bastante conhecido e muito utilizado por quem procura uma solução natural para alguns tipo de problemas de saúde atrás referenciado.

O Poejo caracteriza-se por ser uma planta vivaz sendo a melhor época para efetuar a sementeira entre Fevereiro e Junho. O poejo entra em floração a partir de Julho e esta estende-se até Setembro.

Garanta apenas que quando for fazer esta operação, exista humidade suficiente no solo pois é um dos requisitos essenciais para esta cultura se desenvolver bem.

Como plantas companheiras, as plantas de poejo podem ser usadas como repelentes de formigas.

Saiba mais sobre o cultivo de poejo aqui.

 

8-Oregãos

Os orégãos representam um bom exemplo de uma erva aromática  muito utilizada na cozinha um pouco por todo o mundo. Esta erva aromática é responsável por conferir um sabor único e indiscutível aos seus pratos, para além de lhe conferir vários benefícios para a sua saúde.

Saiba mais sobre as propriedades dos oregãos aqui.

Os orégãos caracterizam-se por ser uma planta aromática herbácea e perene, com caule ereto, folhas opostas, ovais e pontiagudas de cor verde-escuras. Possui um cheiro bastante aromático e sabor amargo. Por ser uma planta tipicamente mediterrânica, os orégãos apresentam um desenvolvimento horizontal. No entanto, devido ao seu ciclo, esta erva aromática poderá apresentar flores nos dias mais mais longos e com isso apresentar os seus caules mais verticais.

Esta planta aromática é a companheira ideal de culturas como o tomate, pimento e beringela. Quando colocada na bordadura da sua horta ela ajuda a repelir insectos.

9-Tagetes


As tagetes também conhecidas como cravos-túnicos marcam presença em muitas hortas e jardins portugueses. As suas pétalas apresentam tonalidades inconfundíveis razão pela qual são muitas vezes utilizadas como tingimento natural para colorir tecidos.

No que diz respeito à sua caracterização botânica, as tagetes caracterizam-se por serem plantas herbáceas de ciclo anual que podem crescer até cerca de 25 cm. Apresentam um caule moderadamente espesso, verde, curto e bastante ramificado. As suas folhas estão dispostas de forma oposta, são oblongas e com apresentam um cheiro muito intenso e característico. As suas flores bem marcantes apresentam-se em sob a forma de capítulos com cores que oscilam entre laranja, vermelho e amarelo.

Se pretende cultivar tagetes na horta saiba o processo mais comum para o fazer é através da sementeira. Por vezes e dependendo do local, estas plantas podem surgir também de forma espontânea. A sementeira destes cravos é maioritariamente realizada no início da primavera, embora também pode ser realizada com menor taxa de sucesso em outras épocas do ano. Após realizada a sementeira, a germinação pode ocorrer até 14 dias depois.

As tagetes depois de cultivadas não exigem grandes cuidados. Desenvolvem-se de forma rápida e não são muito exigentes em relação às condições edafoclimáticas. Podem ser cultivadas num leque diverso de solos embora que apresentem melhores resultados em solos mais férteis. É importante que garanta que o solo onde vai cultivar seja bem drenado e apresente uma boa exposição solar.

As tagetes na horta entram em floração normalmente cerca de 50 dias após a data de sementeira (dependendo das condições). Tal como referido acima, apresentam um floração bastante intensa e marcante. Há ainda quem retire as flores que se apresentam mais murchas para dar um “boost” à floração. Saiba mais sobre as tagetes aqui

Como plantas companheiras, as tagetes ajudam a afastar nemátodos do solo, repelir a mosca branca e também a repelir formigas.

plantas companheiras

10-Crisântemo

O crisântemo caracteriza-se por ser uma planta perene que pode alcançar cerca de 1,5metros de altura. As suas flores são muito aromáticas e os seus caules eretos.

Os crisântemos apresentam folhas simples, alternas, com coloração verde-acinzentado mantendo esta coloração praticamente durante todo o ano.

A fase da floração é das mais importantes durante o ciclo desta planta entrando em floração na estação do outono. As cores das suas flores são muito diversas e algumas das variedades são mesmo bicolores.

Não é uma planta com flor muito exigente e por isso não são necessários grandes cuidados. Por ser bastante resistente, acaba por se adaptar a diversos ambientes.

Como plantas companheiras, os crisântemos são usados essencialmente como repelentes de insetos como pragas de mosquitos e formigas. Isto porque na sua composição está um composto que é usado como inseticida, a piretrina. Este composto ataca o sistema nervoso dos insetos inibindo muitas vezes a sua capacidade picadora.

Quais destas 10 plantas companheiras tem na sua horta? Conte-me nos comentários.