Quinta-feira, Maio 23, 2024

Ervas daninhas anuais vs perenes: principais diferenças a saber

No mundo da agricultura, as ervas daninhas são uma preocupação comum para os quem cultiva. No entanto, nem todas as ervas daninhas são iguais, e compreender as diferenças entre as ervas daninhas anuais e perenes é fundamental para cuidar adequadamente dos cultivos. Neste artigo, vamos explorar as principais diferenças entre ervas daninhas anuais e perenes, destacando as características distintas de cada uma e fornecendo orientações sobre como lidar com cada tipo.

O que são ervas daninhas/plantas infestantes?

Ervas daninhas, ou plantas infestantes, são plantas indesejadas que crescem em locais onde não são cultivadas intencionalmente.  Estas plantas competem com as plantas cultivadas por recursos como água, luz solar e nutrientes do solo, muitas vezes prejudicando o crescimento das culturas desejadas. Podem proliferar em vários ambientes, desde jardins a campos agrícolas, bordas de estradas e outros lugares. Podem ser anuais, perenes ou bienais e reproduzirem-se por sementes, rizomas, estolhos ou bolbos, o que as torna desafiadoras de controlar. O controlo eficaz das ervas daninhas é essencial para garantir o crescimento saudável das plantas desejadas e manter a saúde geral do ambiente.

controlo de ervas daninhas00

O que são ervas daninhas anuais?

Arrancar as plantas infestantes é uma tarefa essencial para manter o seu local de cultivo saudável. No entanto, é importante conhecer bem as diferentes espécies de ervas daninhas, especialmente as anuais, que vivem apenas uma estação.

Resumidamente, as plantas infestantes anuais são plantas que completam o seu ciclo de vida, desde a germinação até à produção de sementes, num único ano. Surgem a partir de sementes que podem estar presentes no solo ou serem dispersas pelo vento, água, animais ou humanos. Estas plantas competem com as culturas desejadas por recursos como luz solar, água e nutrientes do solo, muitas vezes prejudicando o crescimento e desenvolvimento das plantas cultivadas. As ervas daninhas anuais são conhecidas pela sua capacidade de crescer rapidamente e invadir espaços desocupados, sendo muitas vezes consideradas como uma “praga” a ser controlada.

As ervas daninhas anuais e o seu rápido crescimento

É surpreendente como plantas infestantes anuais crescem rapidamente quando o solo está exposto à luz. Basta deixar uma área de terra nua por alguns dias para que as sementes que estavam adormecidas no solo comecem a emergir. Estas ervas anuais são as primeiras a ocupar o espaço antes de cederem lugar às ervas daninhas perenes.

Exemplos de Ervas Daninhas Anuais

Embora muitas vezes sejam vistas como um problema pelos agricultores/jardineiros, algumas ervas daninhas anuais causam menos danos do que outras. No entanto, a sua rápida taxa de crescimento pode ser prejudicial para as culturas desejadas, pois competem por luz, água e nutrientes do solo. Fique a conhecer abaixo alguns exemplos de plantas infestantes anuais.

1-Dente de leão (Taraxacum officinale)

Planta com flores amarelas brilhantes e folhas dentadas que são comestíveis e ricas em nutrientes.

Sabe mais sobre o dente de leão

dente de leao erva daninha

2-Bolsa de Pastor (Capsella bursa-pastoris L.)

Pequena planta com folhas em forma de coração e pequenas flores brancas, comummente encontrada em terrenos perturbados.

bolsa do pastor

3-Urtigas (Urtica dioica)

Plantas com folhas verdes e serrilhadas, que causam picadas quando tocadas, mas são valorizadas por suas propriedades medicinais e nutricionais.

Saiba como fazer chorume de urtigas

ervas daninhas urtigas

4-Beldroegas (Portulaca oleracea)

Erva suculenta com folhas carnudas e flores coloridas, comestível e rica em antioxidantes.

Conhece mais sobre os benefícios das beldroegas

beldroegas ervas daninhas

5-Erva-moira (Chenopodium album)

Planta com folhas verde-claras em forma de lança e pequenas flores verdes, frequentemente encontrada em terrenos baldios.

erva moira ervas daninhas

Combate e Controlo das ervas daninhas anuais

O controlo das plantas infestantes anuais é essencial para evitar que se tornem uma praga no seu local de cultivo. Quando surgem, é importante agir rapidamente. As mais fáceis de remover são aquelas com raízes finas e pouco profundas que podem ser arrancadas à mão. No entanto, as ervas com raízes principais mais espessas, podem exigir uma remoção mais cuidadosa para evitar que voltem a crescer.

A sacha manual ou mecânica, uso de cobertura morta e aplicação de herbicidas seletivos podem ser eficazes (este só deve ser feito se não existir mais nenhuma opção). É crucial selecionar o método de controlo adequado, levando em consideração o tipo de erva daninha, o ambiente de cultivo e os impactos potenciais sobre outras plantas e o meio ambiente. Além disso, a prevenção é fundamental; manter uma boa prática de rotação de culturas, evitar a compactação do solo e garantir uma nutrição adequada às plantas cultivadas pode ajudar a suprimir o crescimento de ervas daninhas anuais.

Saiba mais sobre os métodos de controlo de plantas infestantes aqui.

Eliminação e Compostagem

Após arrancadas, as plantas infestantes anuais podem ser colocadas no compostor, desde que não contenham sementes. Estas decompor-se-ão rapidamente devido à sua estrutura delicada. Alternativamente, podem ser secas ao sol e utilizadas como cobertura vegetal no jardim/mulching.

O que são plantas infestantes perenes?

As plantas infestantes perenes são plantas que vivem por mais de dois anos e geralmente persistem durante várias estações de crescimento. Ao contrário das ervas daninhas anuais, que completam o seu ciclo de vida num único ano, as ervas daninhas perenes continuam a crescer e reproduzir-se ao longo de vários anos.

Estas plantas muitas vezes possuem estratégias de crescimento robustas, como sistemas de raízes extensivos, rizomas ou bolbos, que lhes permitem sobreviver e proliferar mesmo em condições adversas. Como resultado, as ervas daninhas perenes podem ser mais difíceis de erradicar e podem causar problemas persistentes em áreas onde competem com culturas desejadas por recursos como luz solar, água e nutrientes do solo.

 1-Corriola (Convolvulus arvenses)

Uma erva daninha perene com folhas em formato de coração e flores em forma de sino, conhecida por suas raízes profundas e habilidade de se espalhar rapidamente.

corriola ervas daninhas
Fonte: Mitra-Nature

2-Silvas

Plantas invasoras perenes, com espinhos e folhas compostas, capazes de formar densas moitas, dificultando a passagem e competindo com outras plantas por recursos.

3-Junça (Cyperus esculentus)

Uma erva daninha perene com rizomas subterrâneos, capaz de se reproduzir rapidamente e resistente a muitos métodos de controle, prejudicando culturas devido à competição por nutrientes e espaço.

4-Língua-de-ovelha (Helminthotheca echioides)

 Uma planta invasora perene com folhas peludas e flores amarelas, que se espalha facilmente e pode se tornar dominante em pastagens e áreas de cultivo, reduzindo a produtividade.

5-Tanchagem (Plantago major)

 Uma erva perene com folhas largas e flores em espigas, comuns em solos compactados, capaz de competir com culturas e prejudicar a produção agrícola.

Além disso, as ervas daninhas perenes também têm a capacidade de se reproduzir tanto por sementes quanto vegetativamente, o que contribui para a sua persistência e propagação. Essa combinação de longevidade e capacidade de reprodução torna essas plantas especialmente desafiadoras para o controlo em ambientes agrícolas, de jardins e paisagens.

Outra característica importante das plantas infestantes perenes é a sua capacidade de se adaptar a diferentes condições ambientais, o que lhes permite colonizar uma variedade de habitats e competir eficazmente com outras plantas. Além disso, algumas ervas daninhas perenes têm a capacidade de desenvolver resistência a herbicidas com o tempo, o que torna ainda mais difícil o controlo dessas plantas em áreas cultivadas.

Em muitos casos, as ervas daninhas perenes também têm uma capacidade de crescimento rápido e vigoroso, o que lhes permite ocupar rapidamente espaços vazios e competir com as culturas desejadas por recursos essenciais. A sua presença pode reduzir significativamente o rendimento das culturas e até mesmo comprometer a saúde do solo devido à competição por nutrientes. Portanto, o controlo eficaz dessas ervas daninhas requer uma abordagem integrada que pode incluir métodos mecânicos, culturais e químicos, dependendo da situação específica.

Já conhecia algumas destas plantas infestantes que abordei neste artigo? Quais as que frequentemente aparecem na sua horta?

 

acientistaagricola
acientistaagricolahttp://acientistaagricola.pt
Olá, sou a Rosa. Nasci e cresci em meio rural e desde cedo percebi o que queria fazer para o resto da vida. Mais tarde, quando entrei no ensino superior tornei-me Técnica Superior do Ambiente e Agrónoma, áreas que sempre me fascinaram. Este blog é mais do que um projecto pessoal...é  o culminar de duas paixões: a escrita e as ciências ambientais e agrárias. Este é um local de encontro entre todos aqueles que partilham destas mesmas paixões. 

Related Articles

Queres receber as nossas newsletters?

Preencha os campos abaixo para se inscrever.

* ao clicar em "inscrever", está a aceitar as nossas condições de marketing.
- Publicidade -spot_img
spot_img

Últimos artigos